De Olho no Mato Grosso do Sul é uma iniciativa do De Olho nos Ruralistas, um observatório jornalístico sobre agronegócio e os impactos sociais e ambientais do modelo expansionista das monoculturas. A violência inerente a esse modelo impacta diretamente os povos indígenas do Mato Grosso do Sul, ameaçados por fazendeiros e milícias. As etnias Guarani Kaiowá, Terena, Guarani Ñandeva e Kadiwéu disputam seus territórios sagrados e vivem diariamente um etnocídio. Vídeos, mapas e reportagens escritas descrevem esse processo.

A série inicial percorre cinco eixos. O primeiro deles, Política, esmiúça a propriedade de terras por políticos sul-mato-grossenses e seu posicionamento contra os indígenas. O eixo Empresas mostra como o capital financeiro tem centralidade nessa disputa. No eixo Justiça, entra em cena o universo do Poder Judiciário, com participação ativa na manutenção da desigualdade. O quarto eixo, Violência, mostra o cotidiano dos povos indígenas no estado.

O projeto funcionará também como um site dentro do site. Em destaque, uma série – que depois se estenderá para todo o Brasil – sobre os donos da terra nos principais municípios sul-mato-grossenses: “Terras de quem?”  A série De Olho no Mato Grosso do Sul foi realizada com recursos próprios e com verbas do edital Jornalismo Investigativo e Direitos Humanos, do Fundo Brasil de Direitos Humanos, divulgado no fim de 2017.

EQUIPE

Edição e Coordenação Geral: Alceu Luis Castilho

Edição: Luís Indriunas e Bruno Stankevicius Bassi

Reportagem: Igor Carvalho, Alceu Luís Castilho, Bruno Stankevicius Bassi e Luís Indriunas

Audiovisual: Agência Pavio

Projeto cartográfico: Hugo Barbosa De Gusmão e Stefano Wrobleski

Desenvolvimento: DemocraciaDigit.al

Crédito das fotos: Ruy Sposati/Cimi (Home), Igor Carvalho/Pavio (Política), Marcello Casal Jr/ABr (Empresas) (Cimi), Igor Carvalho/Pavio (Justiça).

INICIATIVA

APOIO