Máquina de cana mói trabalhador no ES; G1 define como “fatalidade”

In De Olho na Imprensa, De Olho nos Conflitos, Últimas

Trabalhador rural teve os braços sugados por uma máquina de moer cana, em Cachoeiro de Itapemirim; morreu ali, na plantação

José Maria da Silva, de 58 anos, morreu sugado por uma máquina de moer cana, nesta quinta-feira, em Cachoeiro de Itapemirim (ES). Vejamos este trecho de notícia do G1:

– Os bombeiros disseram que, ao lado de um trator, ficava uma máquina que cortava e moía a cana-de-açúcar e José Maria da Silva teria se desequilibrado e caído na beira da plantação. A máquina, então, sugou os braços dele e puxou o corpo. O equipamento foi desligado para evitar que o corpo fosse triturado. O trabalhador rural teve o pescoço quebrado.

O texto e o subtítulo da notícia falam em “fatalidade”.

You may also read!

Estudo identifica pelo menos três mortes ao ano provocadas por agrotóxicos em Goiás

Pesquisadores da Universidade de Rio Verde identificaram 2.938 casos de intoxicação entre 2012 e 2022, que causaram câncer e

Read More...

Quem é César Lira, o primo de Arthur demitido do Incra

Exonerado da superintendência do Incra em Alagoas, primo do presidente da Câmara privilegiou ações em Maragogi, onde planeja disputar

Read More...

Reportagem sobre Arthur Lira ganha Prêmio Megafone de Ativismo

Vencedor da categoria Mídia Independente, dossiê do De Olho nos Ruralistas detalha face agrária e conflitos de interesse da

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu