Categoria: De Olho na Comida

Brasil consome 18% dos agrotóxicos do mundo, mesma porcentagem dos Estados Unidos

Desse total, muitos produtos estão classificados como "extremamente tóxicos" e provêm da multinacional Syngenta, empresa com sede na Suíça,

Pela retomada da reforma agrária, sem-terra ocupam sedes do Incra em seis estados

Organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Jornada Nacional de Lutas realizou ações em treze estados e

Decreto de Bolsonaro fragiliza combate ao trabalho escravo no campo

Para grupos que monitoram atividades desempenhadas em regime análogo à escravidão, decisão oficializa a impunidade dos abusos; medida impacta

Alvos de ataque de deputado do PSL, quilombolas de Alcântara promovem biodiversidade

Bibo Nunes (PSL-RS) afirmou, durante comissão, que quilombos são "fabriqueta de arco e flecha"; De Olho nos Ruralistas foi

No centésimo dia, governo autoriza mais 31 agrotóxicos; metade deles, “extremamente tóxicos”

Medida ocorre um dia após ministra garantir que não há liberação geral; nos cem primeiros dias do governo Bolsonaro

Tereza Cristina, ministra da Agricultura: “Quem quer comer produtos orgânicos paga”

Política do DEM associa o consumo desses alimentos ao "pessoal fitness"; ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, ela defende

Ministra erra ao dizer que agrotóxico responsável por morte de abelhas no RS não tem registro no Brasil

Durante audiência pública na Câmara, Tereza Cristina contestou estudos sobre intoxicação por pesticidas e negou que o Sulfoxaflor, causador

Governo concede em março mais 35 registros de agrotóxicos; já são 121 produtos liberados no ano

Com média de um agrotóxico liberado por dia, governo Bolsonaro permitiu a comercialização de 28 produtos "extremamente tóxicos"; novidade

Conheça as empresas que pediram os novos pesticidas ‘extremamente tóxicos’

Contaminação de funcionários, irregularidades na produção e doações para bancada ruralista compõem histórico das multinacionais do mercado de agrotóxicos;

Um dos agrotóxicos liberados em janeiro pelo governo Bolsonaro chama-se Topatudo

Empresa gaúcha que pediu o registro do pesticida, uma variação do cancerígeno glifosato, tem conexões familiares com gigantes da