Categoria: De Olho nos Conflitos

Mortes, escravidão e abuso sexual: o legado das missões comandadas pelo pai de antropólogo preso pelo Ibama

Edward Luz foi preso em flagrante ao invadir terra indígena; seu pai homônimo expôs durante entrevistas à imprensa, uma

Multas do Ibama para assassinos de Dorothy Stang prescreveram ou ainda não foram pagas

Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, e Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, receberam autuações milionárias por desmatamento em 2004,

De Olho na História (III) — 15 anos após assassinato, Dorothy Stang inspira resistências na Amazônia

Missionária chegou ao Brasil em 1966 e se tornou internacionalmente conhecida em 2005, quando foi executada a mando de

Prefeito goiano é uma das principais ameaças ao quilombo Mesquita, na divisa com o DF

Comunidade de 235 anos fundada por três escravas alforriadas mantém tradição de resistência feminina; elas batalham diariamente para fortalecer

Em Rondônia, assentados lutam contra ameaças e desmatamento promovidos por grileiros

Após dois despejos e 45 dias sob tiroteio, camponeses reconquistaram posse do Assentamento Padre Ezequiel, em Mirante da Serra;

Nova geração das quebradeiras de coco se dedica ao artesanato e à gastronomia

Avós e mães lutaram para ter a profissão reconhecida; agora, jovens continuam na defesa pela preservação e livre acesso

De Olho na História (II) — Elizabeth Teixeira, 95 anos, uma camponesa marcada pela resistência

Protagonista do documentário "Cabra Marcado para Morrer" foi líder nos anos 50, ao lado do marido João Pedro, das

Jorge Paulo Lemann e Itaú estão entre acionistas de construtora que assusta povo Guarani no Jaraguá, em SP

Dono da Ambev é o 42º homem mais rico do mundo; ele e o maior banco do país compõem

Histórico pecuarista de Regina Duarte inclui apoio a fazendeiros contra indígenas no MS: “Voltei a sentir medo”

Latifundiária há quase duas décadas, nova secretária especial de Cultura fez declaração em 2009 em Dourados, pivô dos conflitos

Mulheres pobres trabalham cinco vezes mais que homens em zonas rurais

Elas dedicam 14 horas por dia aos cuidados não remunerados, como buscar água, lenha e cuidar de crianças, aponta