Abraji define nota da prefeitura de São Paulo como “intimidação” ao De Olho nos Ruralistas

In De Olho na Imprensa, De Olho na Política, Em destaque, Principal, Últimas

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo manifestou apoio ao observatório após Ricardo Nunes associar cobertura a crime de “perseguição”; reportagem buscava ouvir versão dele sobre ameaças da irmã contra o prefeito de Embu-Guaçu

Por Alceu Luís Castilho

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) emitiu uma nota de solidariedade ao De Olho nos Ruralistas. O posicionamento ocorreu após o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, associar o trabalho do observatório a crime de “perseguição”. A afirmação comparando o trabalho de jornalismo à prática de stalking ocorreu nesta quarta-feira (26), em resposta a uma lista de perguntas enviadas pela reportagem relativas ao terceiro episódio da série Endereços: “Ricardo Nunes associa série do De Olho nos Ruralistas a crime de “perseguição”“.

“É inadmissível que, em nota oficial a um pedido de resposta feito pelo veículo, a prefeitura de São Paulo retorne com uma intimidação, insinuando a prática de um crime”, diz o texto assinado pela presidente da Abraji, Katia Brembatti. “A referida perseguição, associada à atividade de stalking, em nada guarda semelhança com o trabalho jornalístico. Além disso, é papel da imprensa acompanhar as ações de autoridades, principalmente quando podem estar ligadas a medidas irregulares”.

A nota enviada pela Secretaria Especial de Comunicação da prefeitura diz que “a postura do veículo De Olho Nos Ruralistas tem se assemelhado a perseguição, um crime previsto na Lei Federal 14.132, de 31 de março de 2021”. A lei foi criada em meio às discussões sobre stalking em redes sociais — em particular, a prática de assédio contra mulheres — e tipifica o ato como “perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade”.

O conteúdo da lei não faz referência à atividade jornalística em temas de interesse público. A punição prevista no Código Penal é de seis meses a dois anos de reclusão.

A nota da Abraji finaliza destacando as boas práticas de jornalismo:

— Cumpre ressaltar ainda que é dever do jornalismo praticado com responsabilidade buscar o chamado outro lado, dando às partes questionadas a oportunidade de apresentar seus argumentos. Foi o que fez o De Olho nos Ruralistas, ao procurar a prefeitura de São Paulo.

Confira abaixo o vídeo que originou a resposta de Ricardo Nunes:

Por ser o atual prefeito, Ricardo Nunes é o personagem principal da série, que detalha os reflexos espaciais do poder em São Paulo. Ele não é o único: a pesquisa se debruça sobre dezenas de figuras, entre políticos e empresários, da zona sul e de outros municípios da região metropolitana. É o caso do vídeo sobre Embu-Guaçu, que gerou a resposta intimidatória de Nunes — candidato a reeleição.

Em reportagem no site, detalhamos hoje a relação da mãe e da irmã do prefeito paulistano com o município vizinho, onde ele e a família possuem casas: “Da irmã de Nunes ao prefeito de Embu-Guaçu: “Cobra a gente mata. Aguarde meu irmão”“.

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL PARA ACOMPANHAR TODOS OS EPISÓDIOS

A série Endereços inaugura a cobertura eleitoral do De Olho nos Ruralistas. Ao todo, serão publicados doze vídeos, sobre o mecanismo do poder em São Paulo e como ele impacta o ambiente e o espaço urbano. Você pode se inscrever aqui para acompanhar semanalmente, nas noites de quarta-feira. Nos dias seguintes o observatório faz neste site o detalhamento dos assuntos do vídeo.

Depois da série sobre São Paulo falaremos sobre candidatos a prefeitos espalhados pelo Brasil, pela Amazônia, pelo Pantanal e pelo Cerrado. A destruição dos biomas tem a assinatura de prefeitos, do agronegócio, da mineração, e este observatório existe para isso, para dar nome aos bois.

Nosso canal no YouTube tem mais de 350 vídeos e se aproxima de 1 milhão de views. Ele é uma das principais plataformas do De Olho, que surgiu como veículo jornalístico em 2016 e se afirma como observatório e produtor de conteúdo audiovisual — dos vídeos no canal a documentários, como o premiado “Elizabeth“, sobre a líder camponesa Elizabeth Teixeira, protagonista do clássico “Cabra Marcado Para Morrer”, de Eduardo Coutinho.

De Olho nos Ruralistas é um observatório sobre agronegócio e seus impactos sociais e ambientais. Sua interface no Congresso, a Frente Parlamentar da Agropecuária, é conhecida como bancada ruralista e inspira a série De Olho no Congresso. Um de nossos trabalhos mais importantes, o relatório “Os Invasores”, fala da sobreposição de fazendas em terras indígenas por empresas e por políticos. Outro dossiê importante divulgado pelo observatório, sobre o presidente da Câmara, Arthur Lira, ganha também resumo em vídeos no canal.

Você pode apoiar o projeto aqui, com pix ou contribuições a partir de R$ 25 mensais. Elas são decisivas para a manutenção da equipe. E para enfrentarmos as ameaças jurídicas.

Alceu Luís Castilho é diretor de redação do De Olho nos Ruralistas. |

LEIA MAIS:
Da irmã de Nunes ao prefeito de Embu-Guaçu: “Cobra a gente mata. Aguarde meu irmão”
Empresa de Ricardo Nunes e família, a Nikkey, tem contrato com o TRE-SP
CPTM licitou dedetização de R$ 2,8 milhões com empresa em nome de Ricardo Nunes
Empresa de Ricardo Nunes venceu licitação do Metrô sob protesto de concorrentes
Sítio de Ricardo Nunes no extremo sul de SP fica em loteamento irregular
Barragem para piscicultura de Nunes foi construída após criação da APA Capivari-Monos
Tanque para peixes de Ricardo Nunes barra nascente em APP no sul de São Paulo
Prefeito de SP afirma que lotes em sítio estão “em regularização”
Filhos de Ricardo Nunes alugaram sítio do pai para grupos de até 75 pessoas
Ricardo Nunes possui nove fazendas em Minas, duas delas por usucapião

 

You may also read!

Conheça o terreno em Parelheiros onde Nunes tentou construir condomínio empresarial

Imobiliária do prefeito, a Topsul Empreendimentos, iniciou processo em imóvel na Estrada Ecoturística de Parelheiros; mata e casa cotada

Read More...

Imobiliária de Ricardo Nunes mostra conexão empresarial com parceiros da zona sul

Dono da Topsul Empreendimentos, prefeito e amigos maçons montaram empresa em nome de parentes; todos tinham conexão com Associação

Read More...

Green Village: o condomínio em Interlagos onde Ricardo Nunes e amigos fazem seu “banco imobiliário”

Maçons e empresários do ramo de imóveis, grupo do prefeito tem apartamentos no local e tentáculos na prefeitura, em

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu