Green Village: o condomínio em Interlagos onde Ricardo Nunes e amigos fazem seu “banco imobiliário”

In De Olho na Política, Em destaque, Principal, Últimas

Maçons e empresários do ramo de imóveis, grupo do prefeito tem apartamentos no local e tentáculos na prefeitura, em especial no esquema que ficou conhecido em São Paulo como “máfia das creches”; confira o quarto episódio da série Endereços, sobre o poder em SP

Por Tonsk Fialho e Alceu Luís Castilho

O Green Village, um condomínio de luxo na Cidade Dutra, zona sul de São Paulo, tornou-se o epicentro do núcleo de amigos, irmãos de maçonaria e empresários ligados ao prefeito Ricardo Nunes. Muitos deles envolvidos na contratação de organizações sociais para gestão de centros de educação infantil, no esquema que ficou conhecido nos jornais paulistas como “máfia das creches”. Esse grupo, que estamos chamando República de Interlagos, é o tema do quarto vídeo da série Endereços, sobre o poder em São Paulo, que inaugura a cobertura eleitoral do De Olho nos Ruralistas.

O condomínio fica perto do Autódromo de Interlagos e possui apartamentos de 180 a 340 metros quadrados, lazer completo, cachoeira artificial e vista privilegiada para a Represa de Guarapiranga, essencial para o abastecimento da metrópole. As quatro torres do Green Village ficam em uma área rodeada por loteamentos irregulares, de acordo com levantamento feito pelo observatório junto a dados da Secretaria Municipal de Habitação.

Embora more hoje numa casa ali perto, em Interlagos, a cinco minutos de carro, o próprio prefeito tem um apartamento no condomínio. Seu filho Ricardo Nunes Filho, o Ricardinho, também tem imóvel no condomínio. Os apartamentos dos dois estão separados por dois andares, no bloco Miami Beach, o bloco C.

São muitos os moradores do Green Village ligados política e economicamente a Ricardo Nunes. Neste episódio da série Endereços, mapeamos esses nomes e suas ligações com a Associação Amiga da Criança e do Adolescente (Acria) e a Sociedade Beneficente Equilíbrio de Interlagos (Sobei), os dois elos centrais no processo de terceirização de creches pela prefeitura, em imóveis alugados por amigos de Nunes.

Confira o vídeo abaixo:

MAÇONARIA É ELO ENTRE MEMBROS DA REPÚBLICA DE INTERLAGOS

Um dos vizinhos de Green Village mais próximos de Ricardo Nunes é Valderci Malagosini Machado. Dono da construtora Malagosini Empreendimentos, com vários projetos em municípios da região metropolitana — Cotia, Osasco, Itapecerica da Serra e Embu-Guaçu —, ele pertence à loja maçônica Fé, Equilíbrio e Luz, de Interlagos, assim como Nunes e outros colegas.

Malagosini na sede da Aesul, explicando projeto de lei sobre ocupação do solo. (Foto: Reprodução/Aesul)

Malagosini é um dos nomes fortes da Associação Empresarial da Zona Sul (Aesul), onde foi vice-presidente durante a gestão de Ricardo Nunes, nos anos 2000, e o substituiu no mandato seguinte, a partir de 2005. O empreiteiro também foi subprefeito de Santo Amaro e da Capela do Socorro, indicado pelo amigo. Saiu após as reportagens sobre a “máfia das creches”.

Malagosini é proprietário de imóveis alugados pela Acria, que administra dez creches da prefeitura e é investigada por emitir mais de R$ 2 milhões em notas frias. Nas próximas reportagens da série detalharemos o uso de terrenos em loteamentos irregulares pela associação, intimamente ligada à Aesul.

Ele voltará a ser um dos personagens do próximo episódio da série Endereços, na quarta-feira (12). Novamente em tema ligado ao mercado imobiliário.

Outro vizinho de Nunes e de Malagosini no Green Village alugou imóveis para as creches da Acria: o empresário Ronaldo do Prado Farias, maçom e ex-presidente da Aesul, é dono de imobiliárias — uma delas, localizada em frente da sede da associação.

Farias acumulou uma dívida de R$ 130 mil em Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), incluindo de um dos imóveis que aluga para a Acria, o do Centro de Educação Infantil (CEI) Santa Margarida, uma creche no Jardim Shangrilá, perto da balsa da Ilha do Bororé, na Represa Billings. Indicado por Nunes, ele já foi diretor administrativo e financeiro da SPObras, empresa ligada à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras. Essa empresa executa projetos da prefeitura e tem o poder de desapropriar imóveis de utilidade pública.

VEREADOR E SUBPREFEITO FORAM VIZINHOS DE NUNES NO GREEN VILLAGE

Ligado à face política da República de Interlagos, o vereador Marcelo Messias é outro amigo do prefeito Ricardo Nunes com apartamento no Green Village. Ele foi chefe de gabinete do emedebista e tem um escritório político na Avenida Atlântica, onde ele e o prefeito são, visualmente, os destaques.

Colega de MDB, Messias é o braço imediato de Nunes na Câmara Municipal. Ele também tem imóveis alugados pela Acria e acumulou uma dívida de R$ 129 mil de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) com o município de São Paulo. Um dos dois imóveis alugados por ele para creches — com dinheiro pago pela Secretaria Municipal de Educação — fica em ocupação irregular. É o CEI Jardim Icaraí, que fica a 15 minutos de carro do Green Village.

Outro personagem do condomínio com conexões no universo político é o empresário Benjamin Ribeiro da Silva, falecido em agosto de 2023. Aliado histórico de Nunes, ele ainda é, segundo o 11º Cartório de Imóveis, um dos proprietários do sítio do prefeito em área de nascente, o Sítio Vista Verde, no extremo sul do município, conforme destacamos em reportagem: “Quem foram os donos do sítio de Ricardo Nunes em Marsilac?“.

Benjamin também alugava imóveis para escolas da prefeitura, por meio da construtora Femarjan, e pelo menos uma creche da Sobei, o CEI Jardim das Macaúbas, no Grajaú. Mais um maçom da turma, ele chegou a dizer que seu negócio era esse: fazer imóvel para alugar para escolas.

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL PARA ACOMPANHAR TODOS OS EPISÓDIOS

A cobertura eleitoral do De Olho nos Ruralistas começa com a série de vídeos sobre o poder em São Paulo em nosso canal no YouTube. Você pode se inscrever aqui. Com isso acompanhará semanalmente cada um dos doze episódios da série Endereços, que vão ao ar nas noites de quarta-feira. Nos dias seguintes o observatório faz neste site o detalhamento dos assuntos do vídeo, como feito no primeiro episódio, sobre o Sítio Vista Verde, imóvel do prefeito em Marsilac, extremo sul do município.

O canal tem mais de 350 vídeos e se aproxima de 1 milhão de views. Ele é uma das principais plataformas do De Olho, que surgiu como veículo jornalístico em 2016 e se afirma como observatório e produtor de conteúdo audiovisual — dos vídeos no canal a documentários, como o premiado “Elizabeth“, sobre a líder camponesa Elizabeth Teixeira, protagonista do clássico “Cabra Marcado Para Morrer”, de Eduardo Coutinho.

De Olho nos Ruralistas é um observatório sobre agronegócio e seus impactos sociais e ambientais. Sua interface no Congresso, a Frente Parlamentar da Agropecuária, é conhecida como bancada ruralista e inspira a série De Olho no Congresso. Um de nossos trabalhos mais importantes, o relatório “Os Invasores”, fala da sobreposição de fazendas em terras indígenas por empresas e por políticos. Outro dossiê importante divulgado pelo observatório, sobre o presidente da Câmara, Arthur Lira, ganha também resumo em vídeos no canal.

A série Endereços marca o início de uma cobertura espacial sobre o poder municipal no Brasil. E não somente sobre eleições. O poder na maior metrópole do país está sendo esmiuçado também em suas relações com o ambiente. O sítio de Ricardo Nunes, por exemplo, fica em uma região de Mata Atlântica, perto da Serra do Mar, em área de mananciais e de proteção ambiental. Até outubro falaremos de prefeitos e agronegócio, secretários de Meio Ambiente e mineração, em uma lógica de expansão econômica, legal ou ilegal, e territorial.

Você pode apoiar o projeto aqui, com pix ou contribuições a partir de R$ 25 mensais. Elas são decisivas para a manutenção da equipe.

| Tonsk Fialho é pesquisador e repórter. |

|| Alceu Luís Castilho é diretor de redação do De Olho nos Ruralistas. ||

Imagem Principal (De Olho nos Ruralistas): condomínio de luxo é epicentro de núcleo empresarial da “máfia das creches”

LEIA MAIS:
Da irmã de Nunes ao prefeito de Embu-Guaçu: “Cobra a gente mata. Aguarde meu irmão”
Empresa de Ricardo Nunes e família, a Nikkey, tem contrato com o TRE-SP
CPTM licitou dedetização de R$ 2,8 milhões com empresa em nome de Ricardo Nunes
Empresa de Ricardo Nunes venceu licitação do Metrô sob protesto de concorrentes
Sítio de Ricardo Nunes no extremo sul de SP fica em loteamento irregular
Barragem para piscicultura de Nunes foi construída após criação da APA Capivari-Monos
Tanque para peixes de Ricardo Nunes barra nascente em APP no sul de São Paulo
Prefeito de SP afirma que lotes em sítio estão “em regularização”
Filhos de Ricardo Nunes alugaram sítio do pai para grupos de até 75 pessoas
Ricardo Nunes possui nove fazendas em Minas, duas delas por usucapião

 

You may also read!

Conheça o terreno em Parelheiros onde Nunes tentou construir condomínio empresarial

Imobiliária do prefeito, a Topsul Empreendimentos, iniciou processo em imóvel na Estrada Ecoturística de Parelheiros; mata e casa cotada

Read More...

Imobiliária de Ricardo Nunes mostra conexão empresarial com parceiros da zona sul

Dono da Topsul Empreendimentos, prefeito e amigos maçons montaram empresa em nome de parentes; todos tinham conexão com Associação

Read More...

Abraji define nota da prefeitura de São Paulo como “intimidação” ao De Olho nos Ruralistas

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo manifestou apoio ao observatório após Ricardo Nunes associar cobertura a crime de "perseguição"; reportagem

Read More...

One commentOn Green Village: o condomínio em Interlagos onde Ricardo Nunes e amigos fazem seu “banco imobiliário”

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu