Pobreza rural atinge 60 milhões de pessoas na América Latina, diz OIT

In De Olho no Agronegócio, Em destaque, Principal, Relações de trabalho, Últimas

Relatório da Organização Internacional do Trabalho diz que 56% dos trabalhadores nas áreas rurais da região – e do Caribe – estão em situação de vulnerabilidade, contra 27% nas áreas urbanas

A taxa de pobreza rural atinge 46,2% da população da América Latina e do Caribe, informou no dia 20 a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Ela afeta 60 milhões de pessoas no campo. A taxa de pobreza urbana nessa região é de 23,8%.

A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) informa que 56% dos 52 milhões de trabalhadores rurais caribenhos e latino-americanos estão em situação de vulnerabilidade (salários baixos, pobreza, poucas proteções sociais) nas áreas rurais. O dobro do constatado nas áreas urbanas, 27%.

O diretor-regional da OIT para a América Latina e Caribe, José Manuel Salazar, disse que as zonas rurais recebem menos investimentos públicos e privados em infraestruturas produtivas e sociais.

A cobertura de saúde da população rural, de 37%, também é menor que a observada nas cidades, que têm um índice de 56%. No caso da aposentadoria, o acesso nas áreas rurais é de 26,5%, contra 56,3% nas áreas urbanas. O desemprego urbano nos 14 países analisados (7,6%), porém, é maior que o desemprego rural, de 3,1%.

O estudo da OIT diz que em alguns países a multa para empresas que não pagam o salário mínimo são tão baixas que convém economicamente a elas pagar as multas em vez dos salários. “Há indicações de que este fenômeno é bastante generalizado na região”, diz o relatório.

O Brasil é definido como uma economia rural em transição. O país tem uma das maiores taxas da região (48,5%) de trabalhadores rurais que dizem trabalhar “por conta própria”. Outros 28,6% são assalariados privados. E a porcentagem dos que se declaram empregadores – ainda no que se refere ao campo – é uma das menores entre os países analisados: de apenas 1,6%.

You may also read!

Esplanada da Morte (XVIII) — Acuado, STF contraria Bolsonaro, mas evita confronto efetivo

Supremo criou página para listar medidas de combate à pandemia, mas permitiu que o presidente divulgasse notícias falsas sobre

Read More...

Insegurança alimentar grave chega a 2,6 milhões de pessoas no campo

Pesquisa do IBGE mostra que, entre 2017 e 2018, 10,3 milhões de brasileiros viviam em domicílios com "privação severa

Read More...

Esplanada da Morte (XVII) — Quem são os oportunistas e quem são os urubus, Augusto Aras?

Escolhido por Bolsonaro sem apoio de seus pares, procurador-geral da República não tem hesitado em arrumar brigas dentro do

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.