Financiar imprensa alternativa é opção de resistência, dizem debatedores

In De Olho na Imprensa, Em destaque, Principal, Últimas

Durante lançamento de documentário, em SP, Adriana Ramos, do ISA, e Igor Fuser, da UFABC, destacaram papel da mídia na preservação de direitos

A retirada de direitos durante o governo Temer foi um tema recorrente no lançamento do documentário “Sem Clima – uma República controlada pelo agronegócio”, na noite desta quinta-feira (30/03), em São Paulo. E várias das perguntas trataram de resistência. Todos os debatedores falaram sobre a necessidade de se investir na mídia contra-hegemônica como uma das formas de resistir.

O evento marcou também o lançamento da campanha de financiamento do De Olho nos Ruralistas. O observatório precisa de mil assinaturas para avançar até 2018.

Igor Fuser, professor da Universidade Federal do Grande ABC, disse que há uma ofensiva do governo e do Congresso para eliminar situações que atrapalhem o caminho do capital. E isso inclui o agronegócio. Essa retirada de direitos não atinge apenas as conquistas da Constituição de de 1988, mas algumas da era Vargas, como a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), de 1943.

Diretora do Instituto Socioambiental (ISA) em Brasília, Adriana Ramos afirmou que, no caso do campo, a ofensiva contra povos indígenas e camponeses já vinha ocorrendo nos governos anteriores. Ela não sabe se não haveria o atual ataque, caso Dilma Rousseff continuasse no poder – mas compartilha da percepção de que os ruralistas se empoderaram, como retrata o filme “Sem Clima”.

Na mediação da mesa, o coordenador do De Olho nos Ruralistas, Alceu Castilho, defendeu a união da imprensa contra-hegemônica, não só no conteúdo, mas desde a captação de recursos: “Assino o Estadão, e hoje entregaram em casa a Folha junto, os dois jornais. E quem assina a Folha recebeu o Estadão. Ou seja, eles estão unidos. E por que o campo alternativo, que está atomizado, não se une também?”

Conheça aqui algumas opções de veículos alternativos que estão promovendo campanha de financiamento coletivo, por meio de assinaturas: De Olho nos Ruralistas, Revista Forum, Opera Mundi, Outras Palavras e Ponte Jornalismo.

CLIMA RUIM

O documentário “Sem Clima” esmiuça a conexão entre as ações da bancada ruralista com as mudanças climáticas. Particularmente por conta das decisões no Congresso que afetam o desmatamento. Com projetos como os que facilitam ou eliminam o licenciamento ambiental, ou que fazem a propriedade privada avançar sobre terras indígenas e Unidades de Conservação. Entre eles a liberação da venda de terras para estrangeiros.

A mesa também contou com Fabrício Lima, da TV Drone, parceira do observatório e um dos diretores do filme. O observatório já recebeu várias propostas de exibição do documentário de 40 minutos, em vários ponto de São Paulo e em vários municípios do país. Quem tiver interesse em exibir “Sem Clima” pode preencher este formulário: “Promova exibições de ‘Sem Clima’“. Ou, caso seja necessário, entrar em contato com a redação, pelo email [email protected]

You may also read!

Legado de Zé Maria do Tomé consolida Ceará na resistência aos agrotóxicos

Projeto Brasil Sem Veneno identificou doze iniciativas no estado; morte de líder camponês na Chapada do Apodi, em 2010,

Read More...

Pesquisa mostra 59 iniciativas legislativas contra os agrotóxicos em todo o Brasil

Na contramão de Brasília, estados e municípios discutem e aprovam projetos para reduzir uso, criar programas de incentivo à

Read More...

New report shows president Bolsonaro used phytosanitary barriers to benefit political allies

During his administration, Jair Bolsonaro favored banana producers from Ribeira Valley, the region where he grew up and where

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu