Consulta pública sobre Desmatamento Zero só teve 16 propostas até agora

In De Olho no Ambiente, Desmatamento, Últimas

Projeto apresentado pelo Greenpeace e aberto à consulta pública tem bem menos participação que aquele que dispõe sobre proteção de dados pessoais; Câmara voltou a divulgá-lo, ontem

Uma sugestão de projeto de lei apresentada em outubro pelo Greenpeace está disponível no Wikilegis, ferramenta de consulta pública e participação dos cidadãos na elaboração de leis. Mais de 1,4 milhão de brasileiros referendaram o texto inicial da organização. A Câmara informou nesta quinta-feira (01/09) que ele está sendo analisado pela Comissão de Legislação Participativa, sob a relatoria do deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG).

O projeto que prevê o Desmatamento Zero e dispõe sobre a proteção das florestas nativas brasileiras foi entregue no ano passado pelo Greenpeace Brasil, com apoio da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), Engajamundo e SOS Mata Atlântica.

O Wikilegis informa que até agora o projeto teve 16 propostas e tem 18 participantes. Bem menos, por exemplo, sobre o projeto que dispõe sobre proteção de dados pessoais, que já teve 452 propostas. Mas bem mais que outros textos abertos à participação dos cidadãos: sobre medidas contra corrupção e violência contra idosos, por exemplo.

Segundo o texto inicial, fica proibida a supressão de florestas nativas em todo o território: “A União, os Estados, Municípios e o Distrito Federal não mais concederão autorizações de desmatamento”. O projeto abre exceção, por cinco anos, para os imóveis da agricultura familiar. O desmatamento nas terras indígenas e populações tradicionais (como as quilombolas) continuaria a ser regido por legislação específica.

O aquecimento global é invocado como um dos motivos para a proibição: “O desmatamento, particularmente na Amazônia, continua a ser uma das principais fontes de emissão de gases de efeito estufa no país”. O Greenpeace diz que o aumento da temperatura pode colocar em risco a produção agropecuária. “Já em 2020, a produção agrícola poderá sofrer prejuízo anual da ordem de R$ 7,4 bilhões”.

You may also read!

Green Village: o condomínio em Interlagos onde Ricardo Nunes e amigos fazem seu “banco imobiliário”

Maçons e empresários do ramo de imóveis, grupo do prefeito tem apartamentos no local e tentáculos na prefeitura, em

Read More...

Abraji define nota da prefeitura de São Paulo como “intimidação” ao De Olho nos Ruralistas

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo manifestou apoio ao observatório após Ricardo Nunes associar cobertura a crime de "perseguição"; reportagem

Read More...

Da irmã de Nunes ao prefeito de Embu-Guaçu: “Cobra a gente mata. Aguarde meu irmão”

Terceiro episódio da série Endereços, sobre o poder em SP, mostra acusações contra Janaína Reis; ela e a mãe

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu