Suplente de Blairo Maggi propõe “jornadas de trabalho flexíveis” no campo

In De Olho no Agronegócio, Em destaque, Principal, Relações de trabalho, Últimas

Dono de frigorífico, senador Cidinho Santos (PR-MT) fala em modernização de leis trabalhistas “para atender agronegócio”; projeto de lei também prevê terceirização

O título feito pela assessoria de imprensa do senador Cidinho Santos (PR-MT) é significativo: “Proposta do senador Cidinho Santos moderniza leis trabalhistas para atender agronegócio“. “Modernizar”, no caso, quer dizer a autorização para “jornadas de trabalho flexíveis”, com carga horária mais extensa em determinadas épocas: preparo de solo, plantio, colheita, manejo produtivo e engorda da pecuária. Sem falar nas “situações de emergência”.

Dono de empresas agropecuárias, Santos é o suplente do ministro Blairo Maggi (PP-MT). Foi eleito em 2010, com patrimônio declarado de R$ 6,5 milhões. Ele tinha, na época, quatro áreas rurais que somavam 874 hectares. E, principalmente, metade do capital do frigorífico União Avícola Agroindustrial, no valor de R$ 5,4 milhões, além da participação em outra empresa agropecuária, a MC. É réu no escândalo que ficou conhecido como “máfia das sanguessugas”, pelo suposto superfaturamento de ambulâncias no período em que foi prefeito de Nova Marilândia.

O senador informa que o projeto – que altera uma lei de 1973 – foi feito após amplo debate com o Ministério da Agricultura, comandado por Maggi, com representantes do agronegócio e trabalhadores rurais. “O campo tem uma dinâmica diferente do trabalho nas cidades”, justifica Santos.

A proposta também prevê a terceirização no meio rural.

You may also read!

Nova Frente Parlamentar da Agropecuária reúne 257 deputados e senadores; com 25, PSL de Bolsonaro só fica atrás de PP e PSD

Rearticulação política consolida FPA como a maior bancada do Congresso, mas agora diretamente associada ao bloco "da bala"; MDB,

Read More...

Entenda a relação de Temer e Coronel Lima com o universo agropecuário

Protagonista de uma contrarreforma agrária no Brasil, ex-presidente teve fazenda em Goiás e foi acusado de grilagem; em SP,

Read More...

Despejo da comunidade Taboca, no Tocantins, viola resolução de direitos humanos

Camponeses foram retirados sem a presença de assistentes sociais e do Conselho Tutelar; segundo o Incra, trio de fazendeiros

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.