Documentário “Sem Clima” é um dos 28 selecionados do Cine Agroecologia 2017, em Brasília

In De Olho na Imprensa, Em destaque, Principal, Últimas

Filme lançado pelo De Olho nos Ruralistas fala de mudanças climáticas e bancada ruralista; será exibido na quarta-feira, durante o 10º Congresso Brasileiro de Agroecologia

A censura promovida pelos ruralistas saiu pela culatra. O documentário “Sem Clima – uma República controlada pelo agronegócio“, lançado em março pelo De Olho nos Ruralistas e exibido em mais de 20 pontos pelo país, foi um dos 28 selecionados pelo Cine Agroecologia, entre 115 curtas, médias e longa metragens da América Latina. Ele será exibido durante o 10º Congresso Brasileiro de Agroecologia e 6º Congresso Latino-Americano de Agroecologia, que acontecem simultaneamente entre terça-feira (12) e sexta-feira (15) em Brasília.

“Sem Clima” será exibido na quarta-feira (13), às 14 horas. A curadoria do Cine Agroecologia é composta por um professor de Agroecologia do Instituto Federal de Goiás (IFG), Diogo de Souza Pinto; por dois estudantes de Cinema e Audiovisual do IFG-Goiás; por dois representantes do Mídia Crioula, um coletivo de comunicação agroecológica; pela produtora visual Dagmat Talga e por Leonis da Silva Junior, estudante de Agronomia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Confira aqui a programação.

O filme começou a ser feito no ano passado, já com a proposta de relacionar as mudanças climáticas às atividades dos parlamentares no Congresso. Durante a apuração, a equipe do observatório foi expulsa da sede da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), uma mansão no Lago Sul em Brasília, por representantes de entidades do agronegócio: “Almoço da bancada ruralista tem ira de deputados e expulsão de repórteres“.

O documentário de 41 minutos mostra esses momentos de tensão em contraponto à discussão serena promovida por deputados socioambientalistas – Alessandro Molon (Rede-RJ), Edmilson Rodrigues (PSOL-PA), Nilto Tatto (PT-SP) – e por representantes de organizações que acompanham com atenção os temas ambientais, como o Instituto SocioAmbiental, o Greenpeace e o Observatório do Clima. Das decisões tomadas no Acordo de Paris às opiniões de deputados ruralistas, como Alceu Moreira (PMDB-RS) e Luis Carlos Heinze (PP-RS).

NA ABERTURA, HOLANDÊS E QUEBRADEIRA DE COCO

A conferência inaugural do Congresso de Agroecologia, na manhã de terça-feira, será sobre o papel da agroecologia na transformação dos sistemas agroalimentares na América Latina. Entre os debatedores estarão Dona Dijé, do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, no Maranhão, e Jan Vander Ploeg, da Universidade de Wageningen, na Holanda. Completam a mesa o chileno Agustín Infante Lira, do Centro de Educação e Tecnologia, e Irene Cardoso, presidente da Associação Brasileira de Agroecologia.

O evento no Centro de Convenções Ulysses Guimarães terá, em meio aos debates sobre agroecologia e temas relacionados (como o uso de agrotóxicos), a Feira Agroecológica e da Biodiversidade, um Encontro Internacional de Guardiões e Guardiãs de Sementes Crioulas, a Feira de Troca de Sementes Crioulas e várias outras atividades culturais, como apresentações de teatro, dança e música. A plenária final será realizada na tarde de sexta-feira (15).

You may also read!

Indicado pelo Centrão, ex-deputado ruralista do Paraná é cotado para assumir o MEC

Fazendeiro e dono de cartório, Alex Canziani (PTB) teve cinco mandatos na Câmara e era membro da Frente Parlamentar

Read More...

Bolsonaro assume projeto genocida com os vetos, diz Articulação dos Povos Indígenas

Apib considera que derrubada de itens do PL que prevê apoio emergencial aos povos do campo mostra a determinação

Read More...

Frente quilombola no Congresso vê racismo e “requintes de crueldade” em vetos de Bolsonaro

Ao derrubar itens do PL 1.142, que prevê medidas emergenciais para os povos do campo durante a pandemia, presidente

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.