Alvo de apreensão recorde de madeira ilegal, empresa orna casa do papa com seus pisos

In De Olho no Ambiente, Em destaque, Principal, Últimas

Ibama e PF confiscaram em SP 1,8 mil m³ da Indusparquet, que abasteceu também mansão de Bono Vox na França; um dos sócios da madeireira, José Antonio Baggio, é diretor da Fiesp

Por Alceu Luís Castilho e Igor Carvalho

A maior apreensão de madeira da Amazônia feita em São Paulo pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no último dia 24 de maio, teve como alvo uma empresa que já exportou para o Vaticano. A Indusparquet, de Tietê (SP), forneceu também pisos para o Taj Mahal, na Índia, e para a residência do astro pop – e defensor das florestas – Bono Vox, o líder da banda U2.

O Ibama e a Polícia Federal recolheram 1,818 mil metros cúbicos de madeira serrada, estocada no depósito da Indusparquet, em Tietê, no interior paulista. Uma “apreensão recorde”, conforme a divulgação das instituições. Um dos sócios da empresa, José Antonio Baggio, é um dos 91 diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Os principais sócios da Indusparquet são Baggio e seu primo Luiz Francisco Fávero Uliana. Baggio preside o Sindicato das Industrias de Serrarias, Carpintarias, Tanoarias, Madeiras Compensadas e Laminadas do Estado de São Paulo (Sindimad) e tem Uliani como suplente.

A casa de Bono Vox na Riviera. (Foto: Reprodução)

Por meio da Masterpiso, empresa do Grupo Indusparquet, Uliana e Baggio fornecem seus pisos e revestimentos, todos em madeira, para mais de 40 países, como Estados Unidos, Canadá, Austrália, Bélgica, Venezuela, Portugal e Vaticano.

Em reportagem – exaltadora – sobre a empresa, em 2016, a revista Casa Vogue contou que os pisos fornecidos pela madeireira ornamentaram a Casa de Santa Marta, no Vaticano. É lá onde se hospedam os cardeais durante os conclaves. E onde o papa Francisco escolheu morar.

Os tacos da Indusparquet também ornam o Theatro Municipal do Rio de Janeiro; o monumento Taj Mahal, na Índia, Patrimônio da Humanidade conforme a Unesco; uma das salas da premiação do Oscar, em Los Angeles; e uma das residências de Bono Vox, a mansão na península de Saint-Jean-Cap-Ferrat, na França – um tradicional destino de milionários na Riviera.

Bono Vox é um conhecido defensor da Amazônia.

OPERAÇÃO COMBATE FRAUDES EM DEPÓSITOS

De acordo com a Polícia Federal, 70 agentes e quatro engenheiros ambientais acompanharam a apreensão, que faz parte da Operação Pátio, que combate esquema de fraudes na homologação de depósitos de madeireiras. Isso significa que o material apreendido no local não foi devidamente declarado e, portanto, não há como comprovar sua origem.

A madeira apreendida em Tietê. (Foto: Ibama)

A Operação Pátio cumpriu 13 mandados de prisão e nove para busca e apreensão. Além do município de Tietê, sede da Indusparquert, os agentes também atuaram em São Bernardo do Campo, Piracicaba e Osasco.

“Há indício da homologação de ‘pátios’ fictícios, utilizados somente para as atividades do grupo investigado”, explicou a PF em nota sobre a operação. “Até o momento, cerca de 8 mil m3 de créditos em madeira fictícios foram gerados pelo servidor. O volume corresponde a 325 caminhões carregados com madeira”. A instituição constatou “prejuízo ao erário público e ao meio ambiente.”

Ainda de acordo com a Polícia Federal, os envolvidos serão indiciados por associação criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa, inserção de dados falsos em sistemas oficiais e violação de sigilo de dados.

EMPRESA DIZ SEGUIR DIRETRIZES EUROPEIAS

Ao Estadão, a Indusparquet alegou que as autuações se devem a “irregularidades formais e burocráticas”, que atingiram um “percentual irrelevante do estoque da empresa”. A empresa argumenta que sua preocupação com o meio ambiente sempre esteve ligada à aquisição da matéria-prima de origem 100% legal, “proveniente de florestas com plano de manejo florestal”.

Segundo a madeireira, ela possui o selo CE – Certification Europeenne, “que comprova que seus produtos estão de acordo com as exigências e diretrizes da União Europeia”. Parte dos produtos, ainda, é certificada pelo Forest Stewardship Council (FSC), “que identifica produtos fabricados com madeiras provenientes de florestas exploradas”. E possui o Certificado Madeira Legal Cadmadeira, da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

You may also read!

Temer cumpre acordo com a FPA e prorroga prazo de adesão ao Refis do Funrural

Transformada em lei, medida provisória adia o prazo de adesão no Programa de Regularização Tributária Rural para 31 de

Read More...

Justiça suspende processo de demarcação no Paraná um dia após atentado contra indígena

Decisão de desembargador paralisa por 90 dias a demarcação de terras Avá-Guarani, em Terra Roxa e Guaíra, palco de

Read More...

Observatório lança, em Dourados, site De Olho no Mato Grosso do Sul

Projeto traz mapa com propriedades de terras por políticos, município a município; De Olho nos Ruralistas faz um raio

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu