Governador que censurou livros, em Rondônia, retirou obrigatoriedade da vacina para febre aftosa

In De Olho na Política, De Olho no Agronegócio, Em destaque, Principal, Últimas

Decisão de Marcos Rocha (PSL) não é consenso nem entre pecuaristas, pois foge às diretrizes da Organização Internacional de Saúde Animal (OIE); enquanto isso, Secretaria de Educação vetou Kafka e Euclides da Cunha, Rubem Alves e Rubem Fonseca

O governador de Rondônia, Marcos Rocha, gosta de se apresentar como Coronel. Nesta quinta-feira (07), ele se tornou conhecido nacionalmente por causa de decisão da Secretaria Estadual de Educação: recolher livros. Entre os 43 títulos, 19 obras de Rubem Fonseca, uma de Franz Kafka, uma de Edgar Allan Poe, outra de Euclides da Cunha. Todas as obras de Rubem Alves foram vetadas, e indicadas para envio ao Núcleo do Livro Didático da secretaria.

Governador ficou famoso por censurar livros. (Foto: Reprodução)

Em contrapartida, a principal fonte de receita do estado, a pecuária, ganhou um mimo recente: a suspensão em dezembro, pelo próprio governador, da obrigatoriedade de vacina para a febre aftosa. A medida foi contestada até por defensores do setor, como o deputado estadual Jean Oliveira (MDB). Ele identificou “extremo perigo” para a economia estadual. E disse que os próprios produtores temem o fim abrupto da vacinação.

Outro deputado estadual em Rondônia, Adelino Follador (DEM), observou em novembro que o governo do Rio Grande do Sul declarou o fim da vacinação e, diante do retorno da doença, teve de voltar atrás. Os pecuaristas gaúchos, segundo o Zero Hora, também dividem-se em relação à medida.

Segundo o Portal DBO, especializado em pecuária, a decisão isolada do governador de Rondônia – anunciada durante uma audiência pública – destoa das diretrizes sanitárias pactuadas com a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), organismo internacional formado por 182 países, entre eles o Brasil.

O cronograma apresentado à OIE, explica o portal, prevê a suspensão da vacinação em todo o país, a partir de cinco blocos de estados. Rondônia e Acre fazem parte do Bloco 1 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa). Mas Marcos Rocha decidiu se adiantar ao processo. O Acre informou não estar pronto para a suspensão.

Confira aqui a decisão do governo de Rondônia sobre os livros:

Aqui, a decisão sobre o gado bovino:

 

You may also read!

Líderes do campo pedem impeachment, renúncia ou um “comando entre todos”, sem Bolsonaro

Para João Pedro Stédile, do MST, Bolsonaro cometeu suicídio político e sociedade precisa se organizar apesar dele; Sonia Guajajara,

Read More...

Líder da bancada ruralista cobra dinheiro dos bancos na luta contra o coronavírus

Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Alceu Moreira (MDB-RS) diz que eles publicaram balanços com mais de R$

Read More...

Covid-19: vários membros da Via Campesina destacam a vulnerabilidade de camponeses e trabalhadores

Resposta insuficiente de governos à pandemia passa pela falta de apoio aos povos do campo, principais responsáveis pelos alimentos

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.