Fotógrafo do New York Times anuncia início da estação do fogo: “Começou”

In Amazônia, De Olho na Imprensa, De Olho no Ambiente, Em destaque, Principal, Últimas

O brasileiro Victor Moriyama tem emplacado várias fotos sobre desmatamento no principal jornal dos EUA; ele está fazendo trabalho sobre produção de soja em Natividade (TO) e registra a volta do ciclo de queimadas no Brasil, uma marca do governo Bolsonaro

Por Alceu Luís Castilho

“Começou”. Assim o fotógrafo Victor Moriyama legendou em seu Facebook a foto que ilustra esta notícia: ele mesmo, em Natividade (TO), a registrar o início da estação do fogo na Amazônia Legal. Faltam poucos dias para o 10 de agosto, data que ficou conhecida internacionalmente como Dia do Fogo, em 2019, diante das fumaças que tomaram boa parte do território brasileiro, fruto das queimadas promovidas principalmente por grileiros, os ladrões de terras públicas.

Moriyama foi sintético ao descrever o fenômeno ambiental e de imprensa: “Começou”. (Imagem: Facebook)

Moriyama divulgou a foto na manhã desta sexta-feira (07) em sua rede social. Ele está acompanhado de outros dois jornalistas, uma delas a documentarista Fernanda Ligabue. O trabalho feito para organizações ambientalistas já rendeu ao fotojornalista várias fotos de capa — um sinal de prestígio em sua profissão — no jornal The New York Times, para muitos o mais influente do planeta.

Neste caso ele está fazendo um trabalho sobre produção de soja para outra organização ambientalista, a Rainforest Foundation, um documentário dirigido por Fernanda.

Os jornalistas estão em um município no sudeste do Tocantins, Natividade, que costuma ser notícia quase todos os anos por causa das queimadas. No ano passado, o fogo na Serra de Natividade já era notícia em julho, quando foi vencido após três dias de trabalho dos brigadistas.

Cerca de 90% do Tocantins está no bioma Cerrado, mas o estado no Norte do país compõe a região administrativa da Amazônia Legal. Natividade faz parte do Matopiba, a fronteira agropecuária que engloba os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Em seguida a equipe irá para a floresta amazônica.

A publicação da foto de Moriyama à frente do fogo não significa que a Amazônia ou o Cerrado estejam tendo as primeiras queimadas do ano — pois já as tiveram. Significa que é muito provável, nos próximos dias, que o jornal estadunidense, para onde ele trabalha como colaborador, publique fotos sobre os incêndios na região e paute a imprensa de todo o mundo a respeito.

Diante da pandemia do novo coronavírus, porém, e das restrições orçamentárias decorrentes, o tamanho da cobertura mundial sobre incêndios na Amazônia tende a ser menor que no ano passado.

Isto apesar do aumento do desmatamento em 2020: o Observatório do Clima acaba de divulgar que a velocidade da devastação aumentou 34% em relação ao ano passado, conforme os dados do sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

| Alceu Luís Castilho é diretor de redação do De Olho nos Ruralistas |

Foto principal: Victor Moriyama/Facebook

You may also read!

Invasões de terras indígenas dobram no primeiro ano de governo Bolsonaro

Número de ocorrências saltou de 109 para 256 entre 2018 e 2019, segundo relatório do Cimi sobre violências contra

Read More...

Brasil já tem mais de 1.000 indígenas e quilombolas mortos por Covid-19

País chega a 835 mortos entre as etnias, segundo a Apib, e 166 mortes em quilombos, conforme a Conaq;

Read More...

Conheça 20 incêndios provocados para expulsar camponeses e indígenas de suas terras

Elemento recorrente na cadeia da grilagem, fogo é utilizado para ameaçar etnias e expulsar assentados da reforma agrária, posseiros

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.