Casa de reza de líder Kaiowá é incendiada no Mato Grosso do Sul

In De Olho nos Conflitos, Em destaque, Povos Indígenas, Principal, Últimas
A casa de reza de xxxx totalmente destruída durante a noite. (Foto - RAJ)

Cassiano Romero, de 92 anos, vinha sendo alvo de ameaças e já chegou a ser espancado; pesquisadores indígenas relacionam casos de violência ao avanço das igrejas evangélicas e à conexão delas com os interesses do agronegócio

Por Leonardo Fuhrmann

O rezador Guarani Kaiowá Cassiano Romero, de 92 anos, teve sua casa de reza incendiada na Aldeia Rancho Jacaré, em Laguna Carapã (MS), na manhã desta quinta-feira (19). No momento do fogo Romero estava no grande encontro de rezadores Kaiowá para a inauguração de outra casa de reza na região.

Rosicleide Oliveira, da Retomada Aty Jovem (RAJ), com Cassiano e sua casa ao fundo destruída. (Foto: RAJ)

Um dos líderes do movimento de cultura e religião tradicionais de seu povo, ele perdeu para as chamas objetos de devoção religiosa, documentos, eletrodomésticos, roupas, uma bicicleta e outros pertences. A casa de reza era sua moradia. Ele ficou apenas com a roupa do corpo. Ninguém saiu ferido e ainda não há informações sobre suspeitos.

Os indígenas relacionam o caso à intolerância religiosa. Contam que o rezador é alvo de diversas ameaças e que ele chegou a ser espancado quase até a morte, recentemente, por pessoas não identificadas. Eles relacionam os episódios de violência com o crescimento de igrejas evangélicas dentro das comunidades indígenas. “Com o avanço deles se formou uma resistência contra nossa religião tradicional”, explica o antropólogo indígena Tonico Benites, também um Guarani Kaiowá.

“Hoje mostra-se mais uma vez o quanto os rezadores são perseguidos”, denuncia Rosicleide Oliveira, da Retomada Aty Jovem (RAJ). “São lutas que estamos enfrentando diante de tantos desafios. Hoje, como indígenas, somos atacados em vários momentos e de várias formas”.

Incêndio se alastrou enquanto o rezador visitava outros religiosos. (Foto: RAJ)

Demarcada nos anos 80, a Terra Indígena Rancho Jacaré tem 774 hectares. Atualmente, moram em seu território pouco mais de 400 indígenas.

INTOLERÂNCIA DE GRUPOS EVANGÉLICOS É TEMA DE DOCUMENTÁRIOS

Filme mostra a ação dos evangélicos nas aldeias. (Imagem: Divulgação)

Os episódios de violência relacionados à entrada de igrejas evangélicas nas terras dos Guarani Kaiowá foram tema do filme Monocultura da Fé, lançado em 2018.  Dirigida pelas documentaristas Joana Moncau e Gabriela Moncau, a obra é baseada nas pesquisas do professor indígena Izaque João e do antropólogo Spensy Pimentel.

A preocupação com a perseguição religiosa contra os rituais tradicionais dos indígenas é crescente e tem ganhado as telas. Outro exemplo é o filme Ex-Pajé, de Luiz Bolognesi, também de 2018, que relata a situação na comunidade Paiter Suruí, cujo território fica na divisa entre Mato Grosso e Rondônia.

Líderes e pesquisadores indígenas relacionam diretamente o avanço de algumas religiões evangélicas, em especial aquelas mais intolerantes, com o cerco do agronegócio contra os povos originários.

“Ao atacar o modo de vida tradicional, eles enfraquecem também a cultura e a identidade”, afirma Benites. Assim, para ele, as comunidades ficam mais vulneráveis aos ataques dos ruralistas e o avanço sobre seus territórios.

Leonardo Fuhrmann é repórter do De Olho nos Ruralistas. |

Foto principal (RAJ): casa do rezador Cassiano Romero, de 92 anos, foi totalmente destruída

LEIA MAIS:
Vincent Carelli: “Ruralistas assinam o massacre de Guarani Kaiowá no MS”
Terras em 297 áreas indígenas estão cadastradas em nome de milhares de fazendeiros
Conheça 20 incêndios provocados para expulsar camponeses e indígenas de suas terras

You may also read!

Legado de Zé Maria do Tomé consolida Ceará na resistência aos agrotóxicos

Projeto Brasil Sem Veneno identificou doze iniciativas no estado; morte de líder camponês na Chapada do Apodi, em 2010,

Read More...

Pesquisa mostra 59 iniciativas legislativas contra os agrotóxicos em todo o Brasil

Na contramão de Brasília, estados e municípios discutem e aprovam projetos para reduzir uso, criar programas de incentivo à

Read More...

New report shows president Bolsonaro used phytosanitary barriers to benefit political allies

During his administration, Jair Bolsonaro favored banana producers from Ribeira Valley, the region where he grew up and where

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu