Consumo de agrotóxicos aumenta cinco vezes no Distrito Federal

In Agrotóxicos, De Olho na Comida, Em destaque, Principal, Últimas

Dados do Ministério da Saúde mostram que Mato Grosso só perde para São Paulo no ranking por estados; Mato Grosso do Sul é marcado pelo contrabando de veneno

Por Inês Castilho

O Centro-Oeste consumiu 333 mil toneladas de agrotóxicos em 2013, 27,2% do total comercializado legalmente no país. A região inclui o Mato Grosso do Sul, estado marcado pela falsificação e contrabando de agrotóxicos. Também se verifica na região o aumento de um terço da área plantada, de 15 milhões de hectares, em 2007, para 23 milhões de hectares, em 2013.

A incidência de casos de intoxicação por agrotóxicos saltou de 3,14 por 100 mil habitantes, em 2007, para 10,23, em 2013 – ano em que teve o maior número de ocorrências no país. Isso, apesar de haver subnotificação.

Os dados são do relatório nacional 2016 do programa de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos (VSPEA), do Ministério da Saúde, que traz a incidência de intoxicações por agrotóxicos e dados da comercialização de veneno por área plantada no Brasil entre 2007 e 2013.

De Olho nos Ruralistas publica desde segunda-feira (31/10) uma série com dados regionais sobre o tema. Confira aqui o primeiro texto: “Intoxicações por agrotóxico quadruplicam no Sudeste; donas de casa estão entre principais vítimas“.

MT CONSOME 54% DOS VENENOS NA REGIÃO

Atrás apenas de São Paulo no ranking nacional, Mato Grosso foi o primeiro da região em volume de veneno consumido (54,4% ou 181 mil toneladass) em 2013. A relação veneno-área plantada foi de 14kg/ha. Foi também o estado com a maior expansão da área plantada, 1,4 milhão de hectares. A incidência de intoxicações no estado, naquele ano, esteve abaixo de estados que concentraram volume inferior de veneno, como Mato Grosso do Sul (12,68 kg/ha) e Distrito Federal (12,47 kg/ha) – o que sugere subnotificação.

Com intensa produção de soja e milho, Goiás vem em seguida em consumo de agrotóxicos – 95 mil toneladas, ou 28,7% do comércio da região. Teve aumento de 350 mil hectares de área plantada.

Mato Grosso do Sul é marcado pela pecuária e pelo grande número de casos de falsificação e contrabando de agrotóxicos. Legalmente, comercializou 55 mil toneladas (16,4%) de agrotóxicos. O volume de veneno aplicado vem se intensificando, com 12,68 kg/ha para cada hectare de área plantada em 2013.

Entre 2007 a 2012, a incidência de intoxicações por agrotóxicos no estado foi superior à média da região Centro-Oeste. Em 2013, entretanto, verificou-se o aumento das intoxicações em todos os estados e o decréscimo na incidência de Mato Grosso do Sul, que passou de 10,34 casos para 9,24 casos por 100 mil habitantes. Entre 2007 a 2013 ocorreram, em média, sete casos de intoxicação a cada 100 mil habitantes por ano.

No Distrito Federal houve aumento significativo de ocorrências a partir de 2010, quando passaram de 2,61 para 11,22 casos por 100 mil habitantes em 2013. Segundo o relatório do Ministério da Saúde, isso pode significar a melhoria da vigilância no estado.

LEIA MAIS:
Intoxicações por agrotóxico quadruplicam no Sudeste; donas de casa estão entre principais vítimas
Região Sul consome 23% dos agrotóxicos do país; Paraná só perde para SP e MT
Bahia aplica 46% dos agrotóxicos do Nordeste
Pará triplica consumo de agrotóxicos; na Amazônia, soja avança para Roraima

You may also read!

Conheça o terreno em Parelheiros onde Nunes tentou construir condomínio empresarial

Imobiliária do prefeito, a Topsul Empreendimentos, iniciou processo em imóvel na Estrada Ecoturística de Parelheiros; mata e casa cotada

Read More...

Imobiliária de Ricardo Nunes mostra conexão empresarial com parceiros da zona sul

Dono da Topsul Empreendimentos, prefeito e amigos maçons montaram empresa em nome de parentes; todos tinham conexão com Associação

Read More...

Green Village: o condomínio em Interlagos onde Ricardo Nunes e amigos fazem seu “banco imobiliário”

Maçons e empresários do ramo de imóveis, grupo do prefeito tem apartamentos no local e tentáculos na prefeitura, em

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu