Syngenta responde a texto sobre morte de abelhas

In Agrotóxicos, Últimas

Em resposta a reportagem sobre exposição em São Paulo, multinacional suíça diz que está comprometida com a defesa da biodiversidade

A empresa suíça Syngenta respondeu a reportagem publicada pelo De Olho nos Ruralistas no dia 26 de janeiro, “Syngenta faz greenwashing com morte de abelhas“.  A multinacional diz defender a biodiversidade. E que o projeto descrito no texto – uma exposição sobre abelhas em São Paulo – está inserido num plano que prevê compromisso com a segurança alimentar global.

A resposta menciona parceria com outra gigante do agronegócio, a Fibria. A Syngenta informa ser a principal patrocinadora do programa Colmeias, da empresa de celulose, “que tecnifica e beneficia milhares de apicultores brasileiros”. Outro trecho da resposta se refere a um projeto de conservação da fauna polinizadora na Mata Atlântica, na Caatinga e no Cerrado.

Segue a nota enviada pela gerência de comunicação externa da empresa:

A Syngenta gostaria de esclarecer o que motiva as diversas iniciativas que desenvolve e apoia, bem como os investimentos que realiza em projetos com foco na coexistência entre a agricultura e a apicultura.

Tendo sua estratégia de negócios atrelada à Sustentabilidade desde suas origens, a Syngenta lançou, em 2013, o The Good Growth Plan, Plano de Agricultura Sustentável, por meio do qual expõe à sociedade seus compromissos com relação à segurança alimentar global. Constituído por três grandes pilares – (i) produzir mais com menos, (ii) preservar a biodiversidade e recuperar terras degradadas e (iii) melhorar a vida de comunidades rurais por meio de treinamentos, acessando também os pequenos produtores – o Plano é auditado por uma empresa externa e tem todos os seus resultados abertos ao público, disponibilizados por meio do Open Data Institute.

Ligados ao segundo pilar do Plano, por meio do qual a Syngenta visa promover a Biodiversidade, há uma série de projetos já implementados com foco na coexistência entre apicultura e agricultura e também na disseminação de informações sobre a polinização, temas que, acreditamos, não são de interesse exclusivo do campo. A parceria com o Instituto Biológico, onde inauguramos, nos últimos dois anos, o Planeta Inseto e o Recanto das Abelhas, compõe a lista desses projetos. Por meio desses espaços, contribuímos para que a temática da polinização seja conhecida e discutida pelo público urbano. E uma das frentes é justamente a da coexistência entra agricultura e apicultura, viável quando normas e boas práticas agrícolas, seguidas e disseminadas pela Syngenta, são atendidas.

Além da parceria com o Instituto Biológico, a Syngenta contribui diretamente para a instalação de meliponários para fins ambientais e de pesquisas, em parcerias com Universidades, como, por exemplo, Unesp e USP/ESALq. A empresa também é parceira da TNC – The Nature Conservancy -, que desde 2008 exerce um papel fundamental no que se refere à coexistência entre agricultura e biodiversidade, a partir da restauração de áreas florestais em alinhamento com o código florestal brasileiro e, assim, restabelecendo o habitat das diversas espécies da região do cerrado.

A Fibria também tem na Syngenta a principal patrocinadora do programa Colmeias, que tecnifica e beneficia milhares de apicultores brasileiros. Outra iniciativa da Syngenta que merece ser destacada é o Operation Pollinator, que tem por objetivo gerar modelos de conservação da fauna polinizadora em três biomas brasileiros: Mata Atlântica, Caatinga e Cerrado, consequentemente incrementando e conservando a biodiversidade desses biomas.

Por fim, a empresa afirma que está à disposição para conceder mais informações acerca de quaisquer parcerias, projetos, iniciativas que desenvolve, apoia ou patrocina”.

You may also read!

Empresa de Ricardo Nunes e família, a Nikkey, tem contrato com o TRE-SP

Tribunal Regional Eleitoral tem missão de fiscalizar as contas do político, que gastou com a própria empresa na campanha

Read More...

Quem foram os donos do sítio de Ricardo Nunes em Marsilac?

Apenas quatro dos treze lotes na zona sul de SP pertencem ao prefeito; entre os proprietários registrados no Cartório

Read More...

Barragem para piscicultura de Nunes foi construída após criação da APA Capivari-Monos

Mapas da plataforma Geosampa contradizem versão da prefeitura sobre infraestrutura para peixes do Sítio Vista Verde, em Marsilac, extremo

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu