Com dívida de R$ 1,7 bilhão, Odebrecht Agroindustrial negociou propina com ex-presidente do BB

In De Olho no Agronegócio, Em destaque, Empresas brasileiras, Principal, Últimas

Delações mostram que Aldemir Bendine pediu comissão de 1% da dívida, segundo o Valor Econômico, para acelerar o processo de renegociação

A divisão agroindustrial da Odebrecht acumulou uma dívida de R$ 1,7 bilhão com o Banco do Brasil. A solução? Negociar propina com o ex-presidente do BB, Aldemir Bendine. O jornal Valor destacou o esquema, conforme a descrição feita por dois delatores na Operação Lava-Jato.

A Odebrecht Agroindustrial possui usinas de açúcar e álcool e está presente em quatro estados: são três usinas no Mato Grosso do Sul, quatro em São Paulo, três em  Goiás e uma no Mato Grosso.

A negociação e o pedido para “acelerar” esse processo no Banco do Brasil apareceram durante as delações de Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro da empresa, e de um ex-presidente da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis.

Aldemir Bendine teria pedido 1% da dívida. (Foto: EBC)

O Valor conta que Aldemir Bendine teria pedido uma comissão, no valor de 1% da dívida, para “agilizar” a renegociação em 2014. O jornal destaca as quantias que chegaram a ser pagas:

– Dos R$ 17 milhões pedidos, a Odebrecht chegou a fazer o pagamento de três parcelas de R$ 1 milhão, sendo que duas delas foram pagas após a prisão de Marcelo Odebrecht, em junho de 2015.

SETOR ESTÁ ENDIVIDADO

Dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional mostram que 4.013 pessoas físicas e jurídicas detentoras de terra devem R$ 906 bilhões, uma dívida maior que o PIB de 26 estados. O montante é equivalente à metade do que todo o estado brasileiro arrecadou em 2015. Ou aproximadamente 22 petrolões.

Cada um dos 4.013 devedores tem dívidas acima de R$ 50 milhões. Segundo dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), há um grupo ainda mais seleto de 729 proprietários que declararam possuir 4.057 imóveis rurais, somando uma dívida de R$ 200 bilhões. As terras pertencentes a esse grupo abrangem mais de 6,5 milhões de hectares, segundo informações cadastradas no Sistema Nacional de Cadastro Rural.

O setor também lidera dívidas com a Previdência. Em Mato Grosso do Sul, conforme noticiou o jornal Midiamax, as empresas agrícolas lideram a lista das 40 empresas com maior dívida de FGTS no estado. Juntas, as nove empresas ligadas ao açúcar e álcool devem mais de R$ 71,9 milhões.

Em todo o Brasil, dados da Procuradoria mostram que 500 empresas têm uma dívida de R$ 426,07 bilhões. A segunda empresa que mais deve é a JBS, também investigada na Lava-Jato, com R$ 1,8 bilhão.

You may also read!

Indicado pelo Centrão, ex-deputado ruralista do Paraná é cotado para assumir o MEC

Fazendeiro e dono de cartório, Alex Canziani (PTB) teve cinco mandatos na Câmara e era membro da Frente Parlamentar

Read More...

Bolsonaro assume projeto genocida com os vetos, diz Articulação dos Povos Indígenas

Apib considera que derrubada de itens do PL que prevê apoio emergencial aos povos do campo mostra a determinação

Read More...

Frente quilombola no Congresso vê racismo e “requintes de crueldade” em vetos de Bolsonaro

Ao derrubar itens do PL 1.142, que prevê medidas emergenciais para os povos do campo durante a pandemia, presidente

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.