Senador preso que passaria férias em Aruba é segundo maior latifundiário do Congresso

In Bancada Ruralista, De Olho na Política, Em destaque, Principal, Últimas

Acir Gurgacz (PDT-RO), que cumpre pena por crimes contra o sistema financeiro, declarou a propriedade de 31,6 mil hectares de terras em Envira, no sul do Amazonas; ele comanda a Comissão Trabalhista da Frente Parlamentar da Agropecuária

Por Leonardo Fuhrmann

Pelo menos por algumas horas, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) conseguiu autorização da Justiça Federal em Brasília para passar férias em um resort na Ilha de Aruba. Ele cumpre desde outubro pena de quatro anos e seis meses de prisão por crimes contra o sistema financeiro. Ele ficaria do dia 17 de julho a 4 de agosto num resort com cassino cuja diária custa em média R$ 4 mil.

STF decidiu que ele não irá para o Caribe. (Foto: Reprodução)

Diante da repercussão, a medida foi revogada na noite desta quarta-feira pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, considerara a pena “francamente incompatível com a viagem de lazer”.

Até maio, Gurgacz estava em regime semiaberto. Agora, cumpre pena em regime aberto. Mesmo quando estava no Complexo Penitenciário da Papuda, Gurgacz permaneceu exercendo o seu mandato de senador, para o qual foi eleito em 2014. Ele é integrante da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e atualmente coordena da Comissão Trabalhista da frente. No ano passado, ele tentou sem sucesso se eleger governador de Rondônia.

Gurgacz é o segundo senador com maior extensão de terras, segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) compilados pelo De Olho nos Ruralistas no Mapa das Terras dos Parlamentares. Ele declarou 31,6 mil hectares, em Rondônia e no município de Envira, no Amazonas, na fronteira com o Acre, uma região com muitas reservas e florestas estaduais e federais.

O político também declarou também a propriedade de uma empresa do setor pecuário, o Frigoari – Frigorífico de Ariquemes. Sua família também tem negócios no Paraná, onde o senador nasceu.

You may also read!

De Olho na História (I) — Margarida Maria Alves: “Da luta não fujo”

A camponesa de Alagoa Grande (PB) foi assassinada a mando de latifundiários em 1983; os criminosos não foram condenados,

Read More...

Margarida Maria Alves abre a série De Olho na História

A trajetória de mulheres camponesas, indígenas e quilombolas compõe nova seção do observatório, com retratos de resistência feminina no

Read More...

Christiane, Aida, Marcia, Maria, Adelia: cinco histórias de Margaridas

Mulheres de todas as idades, do campo e da cidade, levaram para Brasília diferentes pautas para o encontro de

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.