Acusado de poluir nascentes do Pantanal, “Rei do Porco” concorre ao Senado no Mato Grosso

In De Olho no Agronegócio, De Olho no Ambiente, Em destaque, Empresas brasileiras, Especiais, Governo Bolsonaro, Principal, Últimas

Dono da Suinobras e de R$ 158 milhões, Reinaldo Morais (PSC) é o mais rico da lista de candidatos à eleição suplementar para a vaga aberta com a cassação de Selma Arruda; ex-governador e um ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária estão na disputa

Por Juliana Arini 

A suinocultura vai às urnas e pressiona as nascentes do Rio Paraguai, o principal formador do Pantanal, em Mato Grosso. A constatação da agressão ambiental à região está em estudo do WWF-Brasil, “Análise de Risco Ecológico da Bacia do Rio Paraguai”. Além do desmatamento, uma planta pertencente a Reinaldo Gomes de Morais, da empresa Suinobras, está envolvida na poluição das nascentes do bioma, segundo o Ministério Público do estado. Conhecido como Rei do Porco e dono de um patrimônio de R$ 158 milhões, ele é um dos candidatos às eleições suplementares ao Senado no estado pelo PSC. O político e a empresa rejeitam as acusações.

O Rio Paraguai tem 2,69 mil quilômetros e é uma das fontes hídricas primordiais de quatro países: Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai. Suas nascentes estão no município de Diamantino (MT), a 182 quilômetros de Cuiabá, e reúne um dos principais pontos de recarga de água de toda a planície pantaneira. É nessa região que está instalada uma das sedes da Suinobras Alimentos Ltda, uma das maiores produtoras de carne de porco do Brasil.

Com capacidade para 10 mil animais, a planta de Diamantino está na área rural, a 209 quilômetros de Cuiabá, e faz divisa com a Área de Proteção Ambiental (APA) das nascentes do Rio Paraguai, nos limites dos córregos Amolar e Valado. A empresa vem sendo investigada e denunciada desde 2009 pelo Ministério Público de Mato Grosso (MP-MT) como uma das principais responsáveis pela poluição nas nascentes do Pantanal.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema/MT) confirma as perícias. Segundo nota, as análises de agrotóxicos nas nascentes do Rio Paraguai foram feitas pela Coordenadoria de Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde. As amostras de suinocultura foram coletadas pela Perícia da Polícia Civil, a Politec, e enviadas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) para um laboratório de referência do Sistema Único de Saúde, o SUS.

“Muitas perícias sobre a água foram feitas nos últimos anos e as denúncias de mau cheiro e moscas sempre foram constantes, mas a empresa até hoje não respondeu adequadamente nem apresentou os estudos”, diz o promotor de Justiça Daniel Balan Zappia. “Na época de um vídeo que denunciou a mortandade de peixes em 2018, foi constatado que o sistema de tratamento de efluentes estava esgotado e era ineficiente”. Zappia atua em Diamantino e coordena dezenove ações para analisar as causas da poluição nas principais nascentes do bioma Pantanal.

A Primeira Câmara de Direito Público e Coletivo do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT) deferiu em 17 de agosto uma liminar que obriga a Suinobras a realizar um Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima), pela suspeita de contaminação da Unidade de Conservação da APA Nascente do Rio Paraguai. A empresa contestou o pedido, mas o TJ confirmou a decisão em um Acordão da Primeira Câmara de Direito Público e Coletivo.

No despacho, a desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos concluiu que a empresa “não conseguiu demonstrar a inexistência de atividade potencialmente poluidora ou nociva à saúde” na Área de Proteção Ambiental da Nascente do Rio Paraguai.

FORTUNA DE EMPRESÁRIO INCLUI EXPORTADORA DE CARNE

Até o início de novembro, as pesquisas indicavam que Reinaldo Morais tinha menos de 5% das intenções de voto para a vaga única ao Senado. Mato Grosso realiza eleição atemporal em razão do afastamento da juíza aposentada Selma Arruda (Podemos), condenada e cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral por desvios na prestação de contas de sua campanha.

A disputa pela vaga envolve outros dez candidatos, incluindo outros nomes do agronegócio. Entre eles estão o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e o ex-governador Júlio Campos (DEM), primeiro suplente na chapa do candidato Nilson Leitão (PSDB), ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Outro ex-governador, Pedro Taques (SDD), lidera as pesquisas.

Reinaldo Morais, o “Rei do Porco”. (Imagem: Reprodução)

A fortuna de Reinaldo Morais informada ao TSE é de R$ 158 milhões, construída com a produção de frangos e porcos em Mato Grosso. Ele descreve um pouco de sua trajetória como um zootecnista que ficou milionário no e-book “Segredos  de pai para filho”, com o relato de como prosperou após deixar o Paraná, onde nasceu, em Maringá.

Hoje, Morais é sócio-administrador da Suinobras (R$ 22 milhões), Frango Natura Indústria, Comércio e Exportação de Carnes e Derivados Ltda (R$ 14,2 milhões), Pork Foods Indústria de Carnes e Derivados (R$ 1,5 milhão), esta com um aumento de capital previsto de R$ 8,75 milhões. Entre outras empresas, como a LCZSPE Empreendimentos e Participações (R$ 76,13 milhões) e a AFAC-KCP Empreendimentos (R$ 8,4 milhões). Ele também tem um Porsche de R$ 349 mil reais, residências, prédios e uma aeronave.

A Suinobras é considerada a granja mais produtiva do país e foi um dos seis destaques no 4.º Prêmio Sistema em Campo, da Federação Mato-grossense de Pecuária (Famato). Há informações desencontradas sobre a BRF Foods ser uma das principais uma das principais compradoras da empresa. A BRF informa em seu site que exige o cumprimento de protocolos de conduta ambiental de seus fornecedores, mas não respondeu à consulta da reportagem sobre seus negócios com a Suinobras.

Pescadores diretamente afetados disseram ao De Olho nos Ruralistas que se assustaram com a experiência de mortandade dos peixes nas águas do Eio Paraguai, como relata a pescadora profissional Roseni Zuneiane, de Diamantino: “Foi horrível. Eram cacharas, piaus e lambaris boiando. Nós filmamos pra fazer a denúncia. As imagens foram feitas pelo ex-dono da minha chácara. Nunca tínhamos visto isso antes. Havia muito dourado, muito  peixe descendo morto na ponte do Rio Paraguai”.

O esgotamento do sistema de efluentes da suinocultura — que visa a reduzir os efeitos nocivos sobre o ambiente — foi um dos fatores que explicam o desastre, pontua o promotor de Justiça Daniel Balan Zappia:

Vimos uma sequência de erros. O sistema de efluentes, que já contestávamos havia anos, esgotou-se e houve o tombamento de uma carreta com agrotóxicos e sementes. Nas investigações detectamos até a existência de produtos orgânicos persistentes (pops), que são agentes químicos banidos há décadas do país por sua alta toxicidade e tempo infinito no meio ambiente.

CANDIDATO DISTRIBUIU TÍTULOS DE TERRA AO LADO DE BOLSONARO

Cattani exibiu também fotos com Bolsonaro. (Foto: Reprodução)

Reinaldo Morais é um dos candidatos que têm o apoio declarado de Jair Bolsonaro. A aliança tem sido questionada pela candidata do Patriota, Coronel Rúbia Fernanda, que reivindica a condição de representante do governo federal na disputa para a vaga extraordinária no Senado. Ela chegou a entrar num embate direto com o primeiro-suplente do “Rei do Porco”, Gilberto Cattani (PRTB).

A coronel denunciou Cattani pela distribuição de 1.665 títulos de propriedades rurais em Sorriso, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, em um ato passível de ser classificado como pré-campanha eleitoral, em violação ao artigo 77 da legislação que regula as eleições e proíbe que candidatos compareçam a inaugurações de obras nos três meses que antecedem à votação.

Em 2 de outubro, a coligação da candidata, Meu Partido é o Brasil (Patriota e Republicanos), entrou no TRE-MT com um pedido de cassação da chapa formada por Morais e Cattani.

O candidato a suplente, então, acusou a coronel de tentar derrubar sua candidatura por ciúmes de sua proximidade com Bolsonaro. Em um vídeo, ele a qualificou de “Peppa Pantaneira”, em referência à personagem de desenho animado Peppa Pig. O termo já tinha sido usado pelos filhos de Bolsonaro para insultar a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) depois de ela ter rompido com o Planalto. Pelo ato de violência contra a mulher, o TRE multou Cattani em R$ 5 mil.

Ao De Olho nos Ruralistas, Cattani afirmou que tentará recorrer da multa e disse que a referência à personagem não tinha o objetivo de ofender as mulheres ou agredir à coronel, mas associa-la com Joice e sua “atitude de esquerda” e de “vitimização”.

CANDIDATO DIZ QUE SUINOBRAS CUMPRE EXIGÊNCIAS AMBIENTAIS  

Peixes mortos no Rio Paraguai. (Imagem: Reprodução/YouTube)

Procurado pela reportagem, o candidato Reinaldo Morais, por meio de sua assessoria, informa que já foi protocolado na Secretaria Estadual do Meio Ambiente o Projeto de Fertirrigação para a Granja Suinobras de Diamantino, cumprindo todas as exigências e normas ambientais apontadas pelo Ministério Público Estadual. Morais enfatiza que a granja “está em funcionamento há mais de 21 anos, produzindo carne suína de boa qualidade, gerando emprego e renda para toda a região”.

A assessoria do candidato afirma que a empresa segue rigorosas normas sanitárias, ambientais e de sustentabilidade, que fazem a Suinobras ter um “papel de vanguarda na exportação da carne suína produzida no Brasil”, em Mato Grosso, para outros países, que “submetem seus fornecedores a rigoroso critério de avaliação”.

“A Suinobras está ciente de sua responsabilidade empresarial, social e ambiental e contratou uma equipe técnica para atender aos apontamentos do MPE e encontrar uma solução viável e sustentável para toda a cadeia produtiva”, completa a assessoria.

| Juliana Arini é jornalista. |

Foto principal (MPMT): Nascentes do Rio Paraguai estão sob ameaça de atividades da agroindústria, diz MP

You may also read!

Prefeito com fazenda no quilombo Mesquita, na divisa com Brasília, se reelege em Cidade Ocidental (GO)

Nos últimos quatro anos, Fabio Correa (PP) triplicou o patrimônio e adquiriu mais 20 hectares dentro da comunidade tradicional

Read More...

Apresentador do SBT no Paraná diz que “polícia pode descer bala” em indígenas

Retransmissora pertence à família do governador Ratinho Junior; discriminação e ameaças de morte em Nova Laranjeiras colocam em risco

Read More...

Território indígena no Pará é invadido dois dias após acusado de grilagem se eleger prefeito

Em 2016, quando também era prefeito, João Cleber ameaçou renunciar ao cargo em São Félix do Xingu (PA) caso

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.