Avalista de Bia Kicis na CCJ financiou Salles e foi multado por danificar florestas

In De Olho na Política, De Olho no Agronegócio, Em destaque, Principal, Últimas

Família do empresário bolsonarista Winston Ling, que chamou deputada federal de “cão de guarda contra retrocessos”, tem histórico de crime ambiental e dívida com o INSS; clã doou para campanhas do ministro do Meio Ambiente e de outros candidatos do Novo

Por Mariana Franco Ramos

O empresário bolsonarista Winston Ling apareceu nos últimos dias na mídia comercial para enaltecer a posse de Bia Kicis (PSL-DF) na presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Ele pertence a um dos maiores grupos econômicos do Rio Grande do Sul, com histórico de crime ambiental e dívida com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A Terramar Florestal, cuja sociedade é dividida entre os irmãos William e Wilson Ling, foi multada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) do Rio Grande do Sul por danificar florestas em área de preservação permanente (APP). A Petropar Riograndense, atualmente parte da holding Évora, também do clã e de negócios diversificados, figurou na lista dos dez maiores devedores da Previdência.

Para Winston Ling, deputada “não vai deixar passar coisas ruins” na CCJ. (Foto: Reprodução/Facebook)

Em dezembro de 2011, o Consema constatou supressão de vegetação em mata ciliar do Rio Rolante, na Estrada do Sumidouro, em São Francisco de Paula (RS), onde a família possui ao menos dois terrenos rurais. Foram cem metros quadrados de intervenção, sem autorização de órgão ambiental competente.

A Terramar justificou que estava colhendo pinus em local licenciado e informou que “apenas nivelou a estrada que dá acesso ao passo, melhorando as condições de travessia para veículos”. Admitiu, porém, ser responsável pela irregularidade e manifestou o desejo de solução, “a fim de mitigar e recuperar os danos ao meio ambiente”. A multa aplicada foi de R$ 5 mil.

A empresa controla os negócios agrícolas dos Ling e é dona de duas fazendas no município: a Violeta, de 2.473 hectares, que fica em área de Mata Atlântica, e a Rincão, de 330 hectares. A companhia possui terras em Itiquira (MT) e dez granjas no Ceará: quatro em Aquiraz, duas em Eusébio, uma em Pindoretama, duas em Cascavel e uma em Horizonte.

Um levantamento feito pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) a pedido do Valor Econômico em março de 2016 listou os cem maiores devedores da Previdência. A Petropar aparecia em sétimo lugar no ranking, com R$ 1,058 bilhão. Ela declarou à época não possuir passivo em aberto e desconhecer a existência de qualquer processo de cobrança pela via judicial ou por qualquer outra via.

PATRIARCA INTRODUZIU A SOJA NO BRASIL

Os Ling começaram a fazer fortuna na década de 1950, quando o patriarca, Sheun Ming Ling, chegou ao Rio Grande do Sul, “fugindo da China comunista”. Em Santa Rosa, ele se destacou no plantio de soja, com a Olvebra – Óleos Vegetais Brasileiros S.A, em sociedade com Charles Tsé. Depois, se afastou de Tsé e da Olvebra, enveredou para outros ramos do setor alimentício e diversificou seu império para áreas como a petroquímica e o comércio exterior.

Sheun teve quatro filhos. Winston, que vive entre o Brasil e Hong Kong, fundou o Instituto Liberdade do Rio Grande do Sul e foi quem, ao lado de Bia, aproximou Paulo Guedes de Bolsonaro. Na última terça-feira (23), ele falou sobre a escolha da amiga para presidir a CCJ, em entrevista ao blog conservador “Saída pela Direita“, da Folha.
“Ela vai ser num primeiro momento um cão de guarda”, disse. “Nossa esperança é que pelo menos ela não vai deixar passar as coisas ruins, tanto na área econômica quanto na de costumes. Ela é uma garantia de que coisas ruins e antirrepublicanas não vão prosperar”.

EMPRESÁRIO DEFENDE CLOROQUINA E É CONTRA LOCKDOWN

O empresário sino-brasileiro é contrário ao isolamento na pandemia e a favor da prescrição de hidroxicloroquina e ivermectina, medicamentos que, além de serem ineficazes contra o coronavírus, podem provocar uma série de efeitos colaterais — são venenos, portanto, no que se refere a esse combate específico.

Empresário costuma enaltecer Bolsonaro em suas redes sociais. (Foto: Reprodução/Facebook)

No ambiente, seus posicionamentos vão ao encontro do que defendem Ricardo Salles e demais ministros de Bolsonaro. “Desmatamento na Amazônia é conto do vigário em escala planetária”, reproduziu, em setembro, no Twitter.

“O agronegócio não devasta a floresta”, completou, antes de publicar artigo de J.R. Guzzo na Jovem Pan. “O Brasil, sozinho, tem mais vegetação nativa que a Rússia, cujo território é duas vezes maior, e mais que Estados Unidos e Canadá”,.

Ele é pai de  Anthony Ling, ligado ao grupo Estudantes pela Liberdade, que está na origem do Movimento Brasil Livre (MBL), conforme lembrou a Agência Pública.

William é um dos criadores do Instituto de Estudos Empresariais (IEE), que organiza o “Fórum da Liberdade”, e é considerado sucessor de Sheun. Os outros herdeiros são Rosa e Wilson. Todos, de alguma forma, participam dos negócios. O patriarca morreu em março de 2020, aos 99 anos.

GRUPO TEVE LUCRO RECORDE EM ANO DE PANDEMIA

A Évora S.A, que controla a Fitesa, a Crown Embalagens, a América Tampas e a Rio Novo Florestal (antiga Petropar Agroflorestal), possui hje 31 unidades industriais, distribuídas por 14 países. É uma empresa de capital aberto, listada na BM&F Bovespa com o símbolo PTPA4.

O grupo é dono do segundo maior fabricante mundial de mantas de polipropileno para descartáveis higiênicos e médico-hospitalares e da segunda maior fábrica de latas de alumínio para bebida do país.

A crise econômica e a pandemia não afetaram os negócios. Pelo contrário. Em 2020, a Época Negócios destacou que a holding gaúcha registrou uma receita líquida de R$ 5,8 bilhões — crescimento de quase 50% frente ao ano anterior.

A Rio Novo Florestal conseguiu sustar, em março de 2019, a licença ambiental para a abertura e pavimentação de ruas num loteamento no Balneário Gaivota (SC), onde fica sua sede.

A alegação era de que o terreno pertencia à empresa e que estaria em área de preservação. O presidente da Câmara Municipal, Anderson Joaquim dos Santos, contudo, pediu a suspensão da licença, argumentando justamente o contrário.

Segundo ele, o loteamento estava regular, “sendo inclusive registrado no Cartório de Registro de Imóveis”, e a área não era de propriedade da companhia. Localizada em uma fazenda de mesmo nome, a Rio Novo atua na área de extração de madeira em florestas plantadas.

FAMÍLIA FINANCIOU ELEIÇÕES DE SALLES, ZEMA E VAN HATTEM

Nas eleições de 2018, o clã gastou ao menos R$ 550 mil para financiar políticos e diretórios partidários. Wilson Ling fez onze doações, que somaram R$ 250 mil. William Ling, por sua vez, desembolsou R$ 300 mil, em dezesseis campanhas. Os dados são públicos e constam da base do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Líder do Novo foi quem recebeu o ministro no Rio Grande do Sul. (Foto: Julio Cezar Medeiros/Divulgação)

Entre os beneficiados estão o atual ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema Neto. Ambos angariaram R$ 15 mil de cada irmão (R$ 30 mil no total).

Quem mais recebeu dos empresários foi o deputado federal Marcel van Hattem (Novo-RS), com R$ 70 mil (R$ 35 mil de Wilson e R$ 35 mil de William). Houve doações diretas, ainda, para as direções do Novo e do PSD no Rio Grande do Sul, de R$ 50 mil e R$ 70 mil, respectivamente.

Os agradecimentos vieram depois, em forma de elogios públicos. Em agosto de 2019, quando o Novo publicou nota afirmando que Salles não foi indicação do partido e, portanto, não o representava no governo, Winston Ling escreveu, no Twitter: “Tem a minha confiança”. Os posts sobre Salles, aliás, são frequentes.

Em janeiro de 2020, depois de jantar na casa de Winston Ling, foi a vez de Van Hattem fazer um post no Facebook enaltecendo a “agradabilíssima conversa” que tiveram. “Admiro MUITO e sou muito agradecido por tudo que já fizeram e continuam fazendo no Brasil”, escreveu. As letras maiúsculas são da lavra do deputado.

Salles e van Hattem estiveram juntos, em outubro de 2019, no jantar de lançamento da Croplife Brasil — organização que representa empresas ligadas a agrotóxicos e transgênicos. Quando visitou o Rio Grande do Sul, para propagandear seu projeto de concessão das florestas nacionais, o ministro foi ciceroneado pelo colega.

O parlamentar defendeu as ações de Salles na Amazônia e criticou o pedido de expulsão dele por parte da legenda: “Acredito que as propostas dele são inovadoras e por isso ele tem enfrentado contrapontos em alguns setores”.

Mariana Franco Ramos é repórter do De Olho nos Ruralistas. |

Foto principal (Reprodução/Facebook): Winston Ling e Bia Kicis aproximaram Paulo Guedes de Bolsonaro

You may also read!

Conheça De Olho na Resistência, o programa jornalístico sobre os povos do campo

Projeto inédito do De Olho nos Ruralistas traz semanalmente notícias, dicas culturais e resgate histórico sobre a vida e

Read More...

Berço da Lava Jato e da Carne Fraca, Paraná é palco de conflitos históricos

Família do procurador Deltan Dallagnol possui latifúndios no noroeste do Mato Grosso, em região de litígio com o Incra;

Read More...

Delfin diz que preservará vales e fará supressão de 34,2% de Chapada na Bahia

Administradora do Condomínio Cachoeira do Estrondo obteve autorização para devastar 24.732 hectares, área maior que Recife; em nota enviada

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu