Governo de Ratinho Júnior, no Paraná, continua a recomendar cloroquina

In De Olho na Política, Em destaque, Governo Bolsonaro, Principal, Últimas
Ratinho Júnior sempre apoiou publicamente o presidente e suas ações. (Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr)

Sites da Agência Estadual de Notícias e da Secretaria de Saúde mantêm indicação de medicamento que, além de ineficaz no combate à Covid-19, é prejudicial à saúde; filho do apresentador do SBT, governador é um dos aliados mais fiéis de Bolsonaro

Por Mariana Franco Ramos

Enquanto a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado apura, em Brasília, responsabilidades do governo federal na péssima condução da pandemia, a gestão de um dos aliados mais fiéis do governo Jair Bolsonaro continua a contrariar as recomendações médicas e científicas. O site do governo paranaense mantém, desde abril de 2020, a “nota orientativa” número 17, recomendando o uso da cloroquina no “tratamento” de formas graves da Covid-19.

O documento foi publicado nas páginas da Agência Estadual de Notícias (AEN), órgão oficial de comunicação, e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), e não saiu do ar, apesar de sucessivos alertas. Ele é baseado em uma orientação antiga do Ministério da Saúde, que apresenta o medicamento, comprovadamente ineficaz no combate ao coronavírus — além de prejudicial à saúde —, como “terapia adjuvante” para pacientes hospitalizados.

Secretaria de Saúde do Paraná mantém até hoje recomendações para uso da cloroquina. (Imagem: Reprodução)
Há um ano, a Sesa fechou um convênio para receber 154 mil doses de hidroxicloroquina genérica do grupo farmacêutico Novartis/Sandoz, que tem uma planta em Cambé, no norte do Paraná. O acordo foi firmado entre representantes da empresa e o governador. Na época, Ratinho Júnior (PSD) já admitia a ausência de evidências científicas suficientes. No entanto, citava supostos estudos que demonstrariam o benefício do uso. “Segundo os relatos dos médicos, é um medicamento que apresenta resultados positivos, em especial nos casos mais graves”, afirmou.

Ratinho Júnior é filho do apresentador de televisão Carlos Massa, o Ratinho. Embora mais comedido que o pai, sempre apoiou publicamente o presidente e suas ações. Ele foi o único governador presente na comitiva do governo federal que esteve nos Estados Unidos em março de 2020. Ao menos 23 pessoas que participaram daquela viagem testaram positivo para o novo coronavírus assim que retornaram ao Brasil.

Presidente e governador se cumprimentam em uma das muitas agendas conjuntas no Paraná. (Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr)

Membro da bancada de oposição a Ratinho na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o deputado estadual Requião Filho (MDB) criticou a postura do chefe do Executivo e cobrou providências. De acordo com o emedebista, manter a recomendação no site, quando o uso do medicamento é refutado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela ciência e até mesmo pelo seu maior garoto-propaganda, o governo federal, só pode ser “incompetência, negligência, imperícia, imprudência ou incapacidade”.

Ele se refere ao fato de o próprio Ministério da Saúde, diante do avanço da CPI, ter recuado e retirado de sua página a recomendação ao uso do remédio. Durante depoimento à comissão, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi questionado onze vezes pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), se ele concorda ou não com o “kit Covid”, medida sempre defendida pelo governo Bolsonaro. Queiroga se esquivou e não respondeu a nenhuma das perguntas.

ÓRGÃO LIGADO AO GOVERNO TEM CENTRO DE “TRATAMENTO IMEDIATO”

A cloroquina foi transformada em um bastião ideológico e político do governo federal, sendo indicada e — pior — distribuída sem qualquer recomendação médica. A farsa do “tratamento precoce” é tema do oitavo vídeo da série “De Olho no Genocídio“. O observatório mostra como seguidores desta seita repetem mentiras e são protagonistas diretos do massacre de centenas de milhares de brasileiros. Ainda que, depois do estrago, voltem atrás. Assista:

Em março deste ano, o Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar) começou a oferecer em Curitiba o que chamou de atendimento diferenciado e gratuito à população, por meio do “Programa Sociedade Contra o Covid”. O Provopar é uma associação civil, com personalidade jurídica de direito privado, mas com ligação direta com o governo do estado. Questionado por um seguidor nas redes sociais, o órgão confirmou — ainda que de maneira genérica — a possibilidade de indicação de remédios não autorizados.

Requião Filho protocolou, via Alep, pedidos de informações ao Provopar e ao chefe da Casa Civil, Guto Silva. Em resposta, a associação argumentou que não oferece “tratamento precoce”, e sim “consulta médica gratuita para casos de Covid”, definindo a política como um “gesto solidário pela sobrevivência da população de baixa renda durante a pandemia”. Conforme a nota, porém, os vinte médicos voluntários que se revezam nos atendimentos têm autonomia para receitar “o que quiserem”.

Alguns deles seriam integrantes da “Associação Médicos Pela Vida”, um grupo de mais de 2 mil profissionais do país que, em fevereiro, lançou um manifesto defendendo o uso da cloroquina e da ivermectina. No fim de março, o movimento espalhou outdoors em Curitiba fazendo apologia dos remédios. A publicidade foi retirada após solicitação do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e da prefeitura da cidade, como mostrou reportagem do Plural.

Os pedidos de informação sobre a iniciativa do Provopar também foram encaminhados ao MP-PR, que deve investigar o caso. De acordo com o deputado, a Casa Civil ainda não encaminhou resposta ao gabinete.

Mariana Franco Ramos é repórter do De Olho nos Ruralistas. |

Foto principal (Rodrigo Félix Leal/ANPr): Ratinho Júnior sempre apoiou publicamente o presidente e suas ações

LEIA MAIS:

Alexandre Garcia, Augusto Nunes, Ratinho: o que a mídia tem a ver com o genocídio?
Apresentador do SBT no Paraná diz que “polícia pode descer bala” em indígenas

You may also read!

Josimar Maranhãozinho, deputado flagrado com dinheiro vivo, já extraiu madeira de terra indígena

Revista Crusoé mostrou bolsonarista retirando maços de uma caixa, no escândalo do orçamento secreto; fazendeiro, ele saltou do zero

Read More...

Inimigo dos indígenas e alinhado ao agronegócio: quem é o novo ministro do STF

Próximo de Bolsonaro e "terrivelmente evangélico", André Mendonça defendeu tese ruralista na AGU e deve seguir a mesma linha

Read More...
Ceará 5 anos

No Ceará, indígenas e camponeses sofrem com pandemia, fome e exploração

Em cinco anos, De Olho nos Ruralistas mostrou pressão do agronegócio e o efeito avassalador da pandemia nas comunidades

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu