Líder em equipamentos para usinas, Dedini deve R$ 1,7 bilhão em impostos

In De Olho no Agronegócio, Em destaque, Relações de trabalho, Últimas

Empresa também tem dívidas trabalhistas; dois funcionários do grupo estão à frente da secretaria do Desenvolvimento Econômico em Piracicaba (SP) e da secretaria estadual do Emprego e Relações do Trabalho, em São Paulo

A informação está no último parágrafo de um texto no Valor Econômico, nesta terça-feira: a maior parte da dívida do Grupo Dedini é tributária. Representa 74% do passivo total. Mais precisamente, R$ 1,7 bilhão. O grupo paulista é o principal fornecedor de máquinas e equipamentos para o setor sucroalcooleiro. O grupo está há um ano em recuperação judicial. Em maio, devia R$ 8,9 milhões em salários. O grupo fechou há uma semana sua fábrica em Sertãozinho e demitiu 100 funcionários.

A notícia que abre o caderno “Agronegócios” do Valor anuncia uma reação do setor de venda de equipamentos a usinas.

Filho de um dos fundadores da empresa, Malo Dedini morreu em julho. Para lamento do secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho, José Luiz Ribeiro: “Ele esteve no meu escritório em São Paulo, onde conversamos sobre a Dedini e a economia do país. Ele estava confiante na recuperação da empresa e preocupado em honrar os compromissos trabalhistas dos funcionários”.

Ribeiro é funcionário da Dedini desde 1980, e presidente licenciado do Sindicato dos Metalúrgicos. O secretário de Desenvolvimento Econômico de Piracicaba, Tarcísio Mascarim, foi diretor da empresa.

You may also read!

Nova Frente Parlamentar da Agropecuária reúne 257 deputados e senadores; com 25, PSL de Bolsonaro só fica atrás de PP e PSD

Rearticulação política consolida FPA como a maior bancada do Congresso, mas agora diretamente associada ao bloco "da bala"; MDB,

Read More...

Entenda a relação de Temer e Coronel Lima com o universo agropecuário

Protagonista de uma contrarreforma agrária no Brasil, ex-presidente teve fazenda em Goiás e foi acusado de grilagem; em SP,

Read More...

Despejo da comunidade Taboca, no Tocantins, viola resolução de direitos humanos

Camponeses foram retirados sem a presença de assistentes sociais e do Conselho Tutelar; segundo o Incra, trio de fazendeiros

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.