Deputado tucano é condenado por fraude de R$ 7 milhões da Marfrig no MT

In De Olho na Imprensa, Em destaque, Principal, Últimas

Imprensa esconde nos títulos e demais chamadas a sigla PSDB; o G1 omite do texto o nome da empresa envolvida no esquema, a Marfrig

Vejamos os títulos. Procure a sigla do deputado estadual e pecuarista Saturnino Masson:

Juíza condena deputado e frigorífico por fraude em inspeção sanitária (G1-MT)
Deputado e frigorífico são condenados por fraude em inspeção sanitária em MT (Só Notícias)
Deputado Saturnino Masson é condenado por fraude em inspeção de frigorífico (Olhar Direto)
Juíza condena deputado e frigorífico por fraude em inspeção sanitária (Gc Notícias)
Deputado é condenado por esquema de R$ 7 milhões com frigorífico em MT (FolhaMax)

Nas outras chamadas (olhos, janelas), nada diferente. Em uma prática pouco utilizada quando a imprensa se refere a partidos que não estão entre seus preferidos – como o PT.

A FolhaMax consegue não informar o partido do deputado em nenhum trecho do texto.  Os demais sites informam o partido no primeiro parágrafo. Entre eles o G1: o site da Globo, ao menos em sua regional no Mato Grosso, adota o protocolo ao pendurar a sigla PSDB em parênteses, após o nome do deputado, já na primeira linha.

Mas o G1 omite o nome da empresa envolvida, a Marfrig Alimentos, hoje Marfrig Global Foods. Ela está citada na sentença da juíza da Vara de Fazenda Pública de Tangará da Serra (MT), Elza Yara Ribeiro Sales Sansão. Segundo a promotora de Justiça Fabiana da Costa Silva, foi a empresa que pagou R$ 7 milhões – de modo fraudulento – para os inspetores que deveriam fiscalizá-la.

Dois sites destacaram o nome da empresa no título:

Deputado e Marfrig são condenados por fraude em inspeção sanitária (RD News)
Deputado e Marfrig são condenados por fraude de R$ 7 milhões (Mídia News)

Os demais jornais – regionais ou não – até agora não divulgaram a condenação.

O DEPUTADO E A EMPRESA

Ex-prefeito de Tangará da Serra, onde fica a empresa, o paulista Saturnino Masson declarou em 2014 – quando chegou pela primeira vez à Assembleia Legislativa – um patrimônio de R$ 5 milhões. Desse total, R$ 3 milhões se referem a uma propriedade de R$ 3 milhões, de 259 hectares. Ele também informou possuir 400 cabeças de gado, por R$ 320 mil.

Em 2006, quando tentou pela primeira vez se eleger deputado estadual pelo PSDB, ele possuía apenas R$ 512 mil. Possuía terras, mas se definia como comerciante – possuía uma empresa de cereais. Em 2010, seu patrimônio já tinha saltado para R$ 2,9 milhões. Dois anos depois foi eleito prefeito de Tangará – e seu patrimônio já era de R$ 3,8 milhões.

A Marfrig Global Foods está presente em cerca de cem países. Em seu site, informa que é a terceira maior produtora de carne bovina do mundo. Destaca as carnes “macias e suculentas” reconhecidas mundialmente. (Alceu Luís Castilho)

LEIA MAIS:
BNDES passará a ser o maior acionista da Marfrig

You may also read!

Estudo identifica pelo menos três mortes ao ano provocadas por agrotóxicos em Goiás

Pesquisadores da Universidade de Rio Verde identificaram 2.938 casos de intoxicação entre 2012 e 2022, que causaram câncer e

Read More...

Quem é César Lira, o primo de Arthur demitido do Incra

Exonerado da superintendência do Incra em Alagoas, primo do presidente da Câmara privilegiou ações em Maragogi, onde planeja disputar

Read More...

Reportagem sobre Arthur Lira ganha Prêmio Megafone de Ativismo

Vencedor da categoria Mídia Independente, dossiê do De Olho nos Ruralistas detalha face agrária e conflitos de interesse da

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu