Temer vai liberar arrendamento de terras indígenas para agropecuária, dizem portais

In Bancada Ruralista, De Olho na Política, De Olho no Agronegócio, De Olho nos Retrocessos, Em destaque, Governo Temer, Políticas Públicas, Povos Indígenas, Principal, Últimas

Segundo o Canal Rural, vários deputados confirmam acordo feito pelo presidente com a bancada ruralista; Greenpeace define o projeto como uma “aberração ” inconstitucional

O presidente Michel Temer prometeu a deputados da bancada ruralista que, até segunda-feira, permitirá – por meio de Medida Provisória – o arrendamento de terras indígenas para a agricultura e a pecuária. A informação foi divulgada nesta terça-feira (03/10) pelo Canal Rural, que veiculou a seguinte notícia: “Temer vai permitir arrendamento de terras indígenas para produção agrícola“. O Estadão confirmou a informação, sem citar o Canal Rural.

Clique aqui e receba o boletim De Olho nos Retrocessos

O ministro da Justiça, Arnaldo Jardim,  também esteve presente. Um dos deputados que participaram da reunião, Luis Carlos Heinze (PP-RS), disse ao portal que a prática é comum em vários estados – e que, somente no Rio Grande do Sul, há exploração de 40 mil hectares em terras indígenas. Ele e o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) reuniram-se antes com o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Franklimberg Ribeiro de Freitas, para discutir o mesmo tema.

O Greenpeace reagiu definindo a exploração em terras indígenas como ilegal. Segundo a organização, Temer tem ultrapassado – para se manter no poder – “todos os limites morais, éticos e até constitucionais”.  “É uma aberração ver o próprio Presidente da República tramar com parlamentares contra a Constituição Brasileira”, afirmou Márcio Astrini, coordenador de Políticas Públicas. “Neste momento, os direitos conquistados pela sociedade estão sendo negociados num enorme balcão de negócios, na tentativa de salvar o mandato de Temer”.

Foto principal: Renato Soares (Terra Indígena do Xingu)

You may also read!

Com Bolsonaro, a vida na única reserva extrativista do Mato Grosso está mais difícil

Moradores contam que um avião sobrevoou as casas em fevereiro atirando veneno tanto quanto podia; Assembleia Legislativa tentou acabar

Read More...

Matopiba concentra mais da metade das queimadas no Cerrado

Uma das principais fronteiras do agronegócio no Brasil, região também lidera casos no acumulado de 2019, com aumento de

Read More...

Povos tradicionais e extrativistas traçam estratégias de resistência em defesa do Cerrado

Em sua 9ª edição, o Encontro e Feira dos Povos do Cerrado reuniu indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco e

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.