Presidente da Embrapa nega indicação para Meio Ambiente e diz que pasta precisa de gente da área

In De Olho na Política, De Olho no Agronegócio, Em destaque, Governo Temer, Principal, Últimas

Maurício Lopes tem sido apontado como nome da bancada ruralista para o MMA; ministro Sarney Filho será candidato ao Senado e indicou um ambientalista para seu lugar

por Ana Carolina Amaral

“Eu não acho que um nome da Embrapa seja o mais indicado para o Ministério do Meio Ambiente”, afirmou Maurício Antônio Lopes, presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ao De Olho nos Ruralistas. Ele é um dos nomes que têm circulado nos corredores em Brasília como indicação da bancada ruralista para assumir o Ministério do Meio Ambiente. O atual ministro Sarney Filho deve se licenciar no próximo dia 7 para concorrer às eleições do Senado e indicou um nome ambientalista para seu lugar, mas há pressão política para que o presidente Michel Temer coloque um representante do agronegócio no comando da pasta.

Maurício Lopes, presidente da Embrapa. (Foto: Divulgação)

Abaixo, um resumo da conversa:

De Olho nos Ruralistas – O senhor deve aceitar a pasta do Meio Ambiente?

Maurício Lopes – Isso é fake news. Eu nunca fui informado de que estaria sendo indicado.

De Olho – Se for convidado, o senhor deve aceitar?

Lopes – Não. Sou presidente da Embrapa, tenho um compromisso aqui, com a produção agrícola, com o desenvolvimento tecnológico. O Meio Ambiente deve ser assumido por alguém da área ambiental.

De Olho – Mas o senhor concorda que é visto pela bancada ruralista como um representante, alguém que poderia vencer o embate entre ruralistas e ambientalistas?

Lopes – Esse embate é muito prejudicial para todos, mas precisa ser vencido no diálogo. Precisamos reconhecer os desafios da produção agrícola, os limites ambientais, mas também os avanços, sem essa pecha de ruralista e ambientalista, que os dois lados teimam em colocar. Precisamos fazer um debate sério, com equilíbrio de forças.

De Olho – “Equilíbrio de forças” sugere um ambientalista no comando do MMA?

Lopes – Sim, alguém que domine a área ambiental e tenha capacidade de dialogar com os diferentes setores, reconhecendo também o agronegócio moderno.

De Olho – Quem representa o agronegócio moderno?

Lopes – Ele foi mostrado pelo ministro Blairo Maggi em Marrakech [na COP-22 do Clima da ONU], por exemplo.

De Olho – O ministro foi duramente criticado por falsas afirmações naquela Conferência.

Lopes – Bom, mas tem muitos avanços na produtividade e na preservação que precisam ser valorizados. Posso garantir isso como presidente da Embrapa.

De Olho – Ainda assim, o senhor não considera a Embrapa uma boa credencial para assumir o MMA?  

Lopes – Não, podem ter outras pastas mais próximas à atuação da Embrapa, mas o Meio Ambiente precisa de gente da área ambiental.

You may also read!

Explanada da Morte (XI): militar comanda secretaria que assiste a massacre de indígenas por Covid-19

Robson Santos da Silva, coronel da reserva sem experiência na área, comanda com autoritarismo a Secretaria Especial de Saúde

Read More...

Quilombolas do Vale do Ribeira lutam com as próprias armas diante do avanço da Covid-19

Pandemia já atingiu seis quilombos da região onde cresceu Jair Bolsonaro, inimigo dos povos tradicionais; monitoramento nas comunidades e

Read More...

Esplanada da Morte (X): Mandetta esteve em ataque a terra demarcada que terminou com morte de indígena

Como deputado e depois no cargo de ministro, o antigo titular da Saúde manteve uma política contra os povos

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.