Pernambuco registra seus dois primeiros casos de coronavírus entre indígenas

In De Olho nos Conflitos, Povos Indígenas, Principal, Últimas

Um dos infectados, da etnia Pankararu, trabalha como enfermeiro no município de Arcoverde; o outro, do povo Atikum, não teve nome divulgado; ele contraiu a doença em Carnaubeira da Penha; casos ilustram interiorização da pandemia no Brasil

Por Maria Fernanda Ribeiro

O coronavírus chegou aos povos indígenas do Pernambuco. Os primeiros dois casos foram confirmados ontem em boletim da Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (Apoinme). Até então só havia um registro no Nordeste, no estado do Ceará. Os testes positivos são de dois homens, um da etnia Pankararu, o outro da etnia Atikum.

Os números diferem do último boletim epidemiológico da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai), divulgado nesta terça-feira (21), que aponta apenas um caso em Pernambuco. De acordo com o documento, disponibilizado diariamente, o Brasil contabiliza até o momento 34 casos confirmados, a maioria dos registros na região da Amazônia. Manaus é o caso mais crítico, com 17 confirmações. Até agora, em todo o país, foram oficialmente registradas três mortes entre os indígenas e há 25 casos suspeitos sendo investigados.

Fagner Luciano, da etnia Pankararu, trabalha como enfermeiro

Um dos infectados em Pernambuco é Fagner Luciano, enfermeiro Pankararu do hospital regional Ruy Barbosa, no município de Arcoverde — a 256 quilômetros do Recife. Ele divulgou um vídeo nas redes sociais em que confirma a testagem e comenta sobre seu estado de saúde. Luciano teve muita febre e dor no corpo nos primeiros dias, mas os sintomas já diminuíram. Ele teceu elogios ao tratamento que tem recebido do hospital: os profissionais foram todos capacitados e os equipamentos de proteção individual, disponibilizados. A unidade hospitalar de Arcoverde montou um hospital de campanha para dar suporte aos casos suspeitos de Covid-19, tornando-se referência na região.

De acordo com a nota da Apoinme, a confirmação da doença em Luciano veio pela Secretaria da Saúde do Estado de Pernambuco. No caso do indígena Atikum, cujo nome não foi divulgado, o resultado foi divulgado pela Secretaria de Saúde de Carnaubeira da Penha, município a 501 quilômetros da capital.

Alexandre Pankararu, da comunicação da Apoinme, informou que todas as aldeias do estado estão fechadas. As três da etnia Atikum estiveram entre as últimas a proibir a entrada de não-indígenas. Segundo ele, há uma dificuldade do Distrito Sanitário de Saúde Indígena Pernambuco (Dsei) em encontrar kits de higiene para comprar e distribuir nas aldeias. O estado abriga treze povos indígenas, distribuídos em quinze territórios.

Confira, na íntegra, a nota da Apoinme, assinada por Alexandre Pankararu:

“Urgente, chegam aos povos indígenas de Pernambuco os primeiros casos de infecções por coronavírus. No dia 19 de abril a Secretaria de Saúde de Pernambuco anunciou o primeiro caso de um indígena Pankararu, ele é servidor da saúde no hospital de Arcoverde -PE, é da aldeia Saco dos Barros, mas no momento se encontra em isolamento na sua casa em Arcoverde. O segundo caso foi informado hoje, dia 20, pela Secretaria de Saúde de Carnaubeira da Penha-PE, que informou que nessa manhã saiu o resultado positivo de um indígena Atikum, da aldeia Serra Umã. Esse indígena já vinha com os sintomas há mais ou menos 10 dias, fez o exame na última quinta feira e hoje saiu o resultado dele. O indígena se encontra no momento sendo monitorado em sua casa na aldeia.

Há exatamente uma semana o povo Atikum fechou três aldeias de seu território, mas infelizmente não impediu que o coronavírus entrasse em suas aldeias. Segue a preocupação, pois muitas das cidades e municípios do sertão pernambucano não existem leitos de unidades intensivas.

Por conta disso devemos seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Fiquem em casa, evitem aglomerações sociais e mantenham a higiene básica, pois só assim poderemos enfrentar essa pandemia, não somos imunes e todos são sujeitos a serem infectados”.

You may also read!

Indicado pelo Centrão, ex-deputado ruralista do Paraná é cotado para assumir o MEC

Fazendeiro e dono de cartório, Alex Canziani (PTB) teve cinco mandatos na Câmara e era membro da Frente Parlamentar

Read More...

Bolsonaro assume projeto genocida com os vetos, diz Articulação dos Povos Indígenas

Apib considera que derrubada de itens do PL que prevê apoio emergencial aos povos do campo mostra a determinação

Read More...

Frente quilombola no Congresso vê racismo e “requintes de crueldade” em vetos de Bolsonaro

Ao derrubar itens do PL 1.142, que prevê medidas emergenciais para os povos do campo durante a pandemia, presidente

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.