Acusado de corrupção, ex-assessor de Katia Abreu tenta voltar à prefeitura em Goiatins (TO)

In De Olho na Política, Em destaque, Principal, Últimas

Senadora abrigou Vinícius Donnover Gomes em seu gabinete após ele ser preso pela PF; candidatura está sub judice em razão da Lei da Ficha Limpa; prefeito no início da década, ele diz não ter terras hoje, mas já foi multado por desmatamento no município

Por Leonardo Fuhrmann

Prefeito de Goiatins entre 2012 e 2016, Vinícius Donnover Gomes (PSD) tenta nesta eleição retornar ao cargo. O primeiro desafio não vem das urnas, mas da Justiça Eleitoral. Sua candidatura foi indeferida e ele entrou com recurso que o mantém na disputa. Ou seja, pode ser que, mesmo sendo eleito, seja impedido de tomar posse. O indeferimento de sua candidatura tem como base a Lei da Ficha Limpa.

Quando era prefeito, Gomes teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ele chegou a ser preso pela Polícia Federal em 2016, acusado de participação em uma quadrilha acusada de desviar de R$ 10 milhões de recursos públicos. Ele também foi acusado de lavagem de dinheiro.

Apesar do valor envolvido, Gomes declarou posses modestas à Justiça Eleitoral. Diz ser dono apenas de uma casa avaliada em R$ 150 mil. Quando eleito, ele declarou ser dono de 50 reses, que não constam da declaração apresentada agora ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em nenhuma delas há menção a propriedades rurais. Isso não impediu que, em 2016, mesmo ano em que foi preso, Gomes tivesse sido multado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) por desmatamento. As duas multas, em março daquele ano, somaram pouco mais de R$ 1,23 milhão. As autuações ambientais têm como base a área destruída.

TRÊS ANOS APÓS A PRISÃO, UM CARGO NO SENADO

Após ter sido preso, Gomes não ficou completamente afastado da política. No ano passado, ele trabalhou como assessor no gabinete da senadora Katia Abreu (PP). Segundo a página do Senado, ele prestava serviço no escritório de apoio da parlamentar, em Tocantins. Em julho de 2020, último mês em que prestou serviço para a senadora, Gomes recebeu pouco mais de R$ 2 mil líquidos, além de uma verba de quase R$ 1 mil de auxílio-alimentação.

Katia é hoje uma das líderes do Centrão no Senado e é uma das políticas mais influentes do Tocantins. Seu filho Irajá (PSD) também é senador pelo estado. Ela foi ministra da Agricultura durante o governo Dilma Rousseff e presidiu por dois mandatos seguidos a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), uma das principais entidades representativas dos ruralistas.

A família da senadora tem interesses diretos na região do Matopiba, formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, conforme noticiou o observatório em relação à participação de Irajá em projeto de lei sobre regularização de terras griladas: “Texto de Irajá na MP da Grilagem beneficia negócios do padrasto“.

Leonardo Fuhrmann é repórter do De Olho nos Ruralistas |

Foto principal (Facebook): Goiatins (TO) aguarda decisão da Justiça Eleitoral sobre candidatura de ex-prefeito

You may also read!

Prefeito de Eldorado do Sul terraplanou terreno em APA às margens do Rio Jacuí

Empresa em nome de sua família foi investigada pelo Ministério Público após aterrar área de "banhado" da Área de

Read More...

Expulsão de camponeses por Arthur Lira engorda lista da violência no campo em 2023

Fazendeiros e Estado foram os maiores responsáveis por conflitos do campo no ano passado; despejo em Quipapá (PE) compõe

Read More...

Estudo identifica pelo menos três mortes ao ano provocadas por agrotóxicos em Goiás

Pesquisadores da Universidade de Rio Verde identificaram 2.938 casos de intoxicação entre 2012 e 2022, que causaram câncer e

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu