Após reportagem, Ceratti rompe com associação que financia bancada ruralista

In Bancada Ruralista, De Olho na Política, De Olho no Agronegócio, Em destaque, Empresas brasileiras, Principal, Últimas

Pesquisa do observatório, repercutida no Greg News, listou a Associação Brasileira de Proteína Animal entre as financiadoras do Instituto Pensar Agro, fiador da FPA; em nota, a fabricante de embutidos afirmou ter encerrado contrato com a organização

Por Bruno Stankevicius Bassi

A ligação umbilical entre o Instituto Pensar Agro (IPA) e a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), braço institucional mais conhecido da bancada ruralista, não é novidade para quem circula nos corredores de Brasília.

Em 2016, funcionários do IPA expulsaram equipe do De Olho nos Ruralistas de evento da FPA. (Foto: Reprodução)

As duas instituições não dividem apenas o mesmo e-mail para contato e o mesmo endereço — uma mansão no Lago Sul, onde os parlamentares se reúnem às terças-feiras. Elas também compartilham da verba arrecadada pelo IPA junto a associações empresariais do agronegócio, como mostrou o observatório em 2019, em reportagem repercutida em novembro no Greg News, programa liderado pelo humorista Gregório Duvivier.

Desconhecida do grande público, essa cadeia de financiamento escapa até mesmo a algumas empresas, como a fabricante de carnes e embutidos Ceratti. Em comunicado enviado ao De Olho no Ruralistas, a empresa, conhecida pela mortadela, declarou desconhecer a participação da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), da qual fez parte, na manutenção das atividades do IPA:

— Fomos sim, clientes da ABPA, comprando informações mercadológicas sobre preços da carne de aves e suína (…) e ter suporte dúvidas sobre normativas e decretos relacionados, por exemplo, à embalagens para fazermos as alterações obrigatórias. Mas, a partir do momento que tomamos conhecimento da investigação feita pelo grupo de jornalistas De Olho nos Ruralistas, decidimos encerrar imediatamente todas as relações comerciais com tal entidade, pois não tínhamos conhecimento do repasse indevido.

A Ceratti foi a primeira empresa mencionada pela reportagem a se posicionar sobre a relação indireta com a bancada ruralista. Ainda segundo a nota, a multinacional, comprada em 2017 pela estadunidense Hormel Foods, afirma cumprir com as normas estabelecidas pelo Ibama e se opor à ação de entidades que atuem em prejuízo do ambiente.

VEJA ABAIXO COMUNICADO NA ÍNTEGRA

Foi com consternação e espanto que a Ceratti teve conhecimento do vídeo do Greg News veiculado no dia 13 de novembro, onde é acusada de financiar a Bancada Ruralista e, consequentemente, o desmatamento da floresta amazônica. Nossa empresa sempre se pautou pela ética e compromisso com a sustentabilidade, valores que foram reforçados quando da nossa aquisição pelo grupo norte-americano Hormel Foods.

Em nenhum momento, de maneira ativa e consciente, oferecemos apoio a qualquer pessoa ou entidade que tenha atuação no que tange a triste e preocupante devastação da floresta amazônica ou a qualquer outra ação que prejudique o meio ambiente.

Fomos sim, clientes da ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal, comprando informações mercadológicas sobre preços da carne de aves e suína, além de recebermos com antecedência a agenda de eventos do setor e ter suporte dúvidas sobre normativas e decretos relacionados, por exemplo, à embalagens para fazermos as alterações obrigatórias. Mas, a partir do momento que tomamos conhecimento da investigação feita pelo grupo de jornalistas De Olho nos Ruralistas – e divulgada por Gregório Duvivier no Greg News – sobre envio de verba para grupos envolvidos com a destruição ambiental, decidimos encerrar imediatamente todas as relações comerciais com tal entidade, pois não tínhamos conhecimento do repasse indevido.

A Ceratti é uma empresa com quase 90 anos de história e que entende qualidade como algo que vai além do processo produtivo. Tem a ver com firmeza de caráter e proteção ao ambiente como um todo. Nossa fábrica, por exemplo, conta com com um sofisticado sistema antipoluição, em que são utilizados combustíveis de menor impacto ambiental, dentre diversas outras iniciativas como o tratamento da água e uso de energia solar. Tudo funcionando de acordo com as normas estabelecidas pelo Ibama. Não poderíamos jamais agir contra a confiança que foi depositada em nós por nossos clientes, funcionários e fornecedores.

Agradecemos a informação trazida a nós pela reportagem, comprovando o valor de uma imprensa livre para a sociedade. Reiteramos que estamos abertos para quaisquer esclarecimentos necessários.

| Bruno Stankevicius Bassi é repórter e coordenador de projetos do De Olho nos Ruralistas. |

Foto principal (Divulgação): após reportagem do observatório, Ceratti rompe relações com ABPA

LEIA MAIS:
Multinacionais são financiadoras ocultas da Frente Parlamentar da Agropecuária
Em resposta ao Greg News, Frente Parlamentar da Agropecuária ataca o De Olho nos Ruralistas

You may also read!

Assentados do Pará denunciam extorsão por advogado ligado ao agronegócio

Eles dizem que tática de William Lopes é difamar órgãos públicos, ONGs e sindicatos, enquanto cobra dinheiro para criar

Read More...

Acusado de matar líder, fazendeiro ameaça com armas e drones no Tocantins, contam camponeses

Em 2018, o grileiro Paulo Freitas conseguiu expulsar famílias que acampam em Palmeirante; hoje ele intimida as famílias obrigadas

Read More...

Plataforma mostra uso do fogo como arma de guerra contra povos do campo

Dossiê lançado por trinta organizações retrata devastação ambiental e conflitos por terra gerados pelo agronegócio no Cerrado, na Amazônia

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.