Presidente do WWF tergiversa ao falar de empresas e do setor agrícola

In Cerrado, De Olho na Imprensa, De Olho no Ambiente, Últimas

Em entrevista ao Valor, equatoriana Yolanda Kakabadse evita bater de frente com o poder econômico; uma das principais organizações ambientalistas do mundo, WWF recebe dinheiro do setor privado

Bem que a repórter do Valor Econômico tentou. Mas a equatoriana Yolanda Kakabadse, presidente do WWF, não se dispôs a enfrentar o poder econômico, em entrevista de uma página ao jornal. Ela apostou em enunciados genéricos e de perspectiva conciliadora, com frases como: “Todos os partidos terão que ter uma pauta verde”. Ou: “Temos que mudar hábitos de produção e consumo”.

A repórter Daniela Chiaretti – especialista em ambiente – fez uma pergunta específica sobre o setor agrícola brasileiro, que teria incorporado o discurso de que é preciso proteger o ambiente. “Em muitos casos é só discurso”, observou Daniela. A resposta de Yolanda não diz uma linha sobre o setor agrícola: ela prefere falar da escassez de água como oportunidade para educar a população.

Em outro momento a repórter volta à carga, referindo-se ao Cerrado, visto pelo setor agrícola como um bioma que serve apenas para produzir, e não como algo a ser preservado. A presidente do WWF informa que a ONG tem pouca capacidade institucional para atuar na área agrícola. “Trabalhamos muito com comunidades locais onde é fácil demonstrar o uso da água, de não destruir a floresta”, afirmou.

Ou seja: caberia à população às mudanças. No máximo ela diz que o pecuarista pode produzir carne gastando menos água.

Daniela observa que o WWF trabalha com empresas, ao contrário de outras ONGs. A equatoriana responde: “Para nós o setor privado é tão importante quanto os governos. As forças de mercado são enormes, e é enorme o potencial que têm de fazer o bem e o mal. Nossa mensagem é para todo o setor privado e a aliança são com empresas responsáveis”. (Alceu Luís Castilho)

You may also read!

Empresa de Ricardo Nunes e família, a Nikkey, tem contrato com o TRE-SP

Tribunal Regional Eleitoral tem missão de fiscalizar as contas do político, que gastou com a própria empresa na campanha

Read More...

Quem foram os donos do sítio de Ricardo Nunes em Marsilac?

Apenas quatro dos treze lotes na zona sul de SP pertencem ao prefeito; entre os proprietários registrados no Cartório

Read More...

Barragem para piscicultura de Nunes foi construída após criação da APA Capivari-Monos

Mapas da plataforma Geosampa contradizem versão da prefeitura sobre infraestrutura para peixes do Sítio Vista Verde, em Marsilac, extremo

Read More...

One commentOn Presidente do WWF tergiversa ao falar de empresas e do setor agrícola

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu