Fotos documentam avanço do agronegócio na região do Xingu

In De Olho no Agronegócio, Principal, Últimas

Projeto “Ameríndios do Brasil”, de Renato Soares, documenta as 300 etnias indígenas do país; uma das tarefas é identificar as mudanças ambientais provocadas por usinas, mineração e agropecuária

Frequentador assíduo do Parque Indígena do Xingu, o fotógrafo Renato Soares está atento à movimentação do agronegócio na região. O projeto “Ameríndios do Brasil” registra o cotidiano das 300 etnias indígenas do Brasil. Em paralelo a isso, ele se propõe a documentar também as mudanças na paisagem, ou seja, os impactos causados pela mineração, pelas barragens e pela agropecuária. O caso do Xingu é exemplar.

“A soja vai até a fronteira, não respeita o limite de 30 quilômetros”, diz o fotógrafo, em entrevista à TV DeOlho, programa quinzenal do De Olho nos Ruralistas. “Está bem nas margens do parque. E ali está virando um deserto”. Ele define o parque – uma área de 2,6 milhões de hectares, onde vivem 5.500 indígenas de 14 etnias – como um oásis, cercado de fazendas por todos os lados. “E está todo mundo de olho nesse oásis”, afirma. 

Confira aqui o trecho do programa relativo ao tema:

Um dos proprietários das terras próximas do parque, segundo o fotógrafo, é o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, um dos maiores produtores de soja do mundo. “É assustadora a quantidade de caminhões que entram para levar soja”.

Soares fala também dos agrotóxicos despejados na região. Uma vez, o vento levou o veneno – destinado a uma lavoura de milho – para uma aldeia. Os indígenas reclamaram. E ouviram o seguinte: “Vocês têm de ir para mais longe”.

O relato sobre agronegócio é o segundo trecho desta edição da TV DeOlho. Para ver o primeiro trecho, sobre o projeto Ameríndios do Brasil (que visa registrar as 300 etnias), clique aqui: https://www.youtube.com/watch?v=6p73UMls0dI

LEIA MAIS:
Renato Soares fotografa as 300 etnias do país: “É preciso registrar os sorrisos”

You may also read!

Mortes, escravidão e abuso sexual: o legado das missões comandadas pelo pai de antropólogo preso pelo Ibama

Edward Luz foi preso em flagrante ao invadir terra indígena; seu pai homônimo expôs durante entrevistas à imprensa, uma

Read More...

Ambev diz que vai “fazer chover” fora da cidade para não molhar foliões em SP

Empresa contratou para o carnaval a ModClima, que prestou sem concorrência serviços para a Sabesp, entre 2007 e 2016;

Read More...

Multas do Ibama para assassinos de Dorothy Stang prescreveram ou ainda não foram pagas

Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, e Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, receberam autuações milionárias por desmatamento em 2004,

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.