“Carne Fria”: Ibama interdita frigoríficos ligados a desmatamento

In Amazônia, De Olho no Ambiente, Desmatamento, Em destaque, Principal, Últimas
Gado criado em área embargada (Foto: Piero Locatelli/ Repórter Brasil)

Governo tenta abafar operação que inclui fazenda de Daniel Dantas; JBS leva multa de R$ 25 milhões; Ministério da Agricultura diz não saber de nada

Deflagrada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Operação Carne Fria já interditou 15 frigoríficos e 20 fazendas, desde segunda-feira, em três estados: Pará (11), Tocantins (3) e Bahia (1). Não há relação com a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. A Carne Fria tem foco no desmatamento, por causa da compra de gado oriundo de áreas embargadas pelo órgão.

Segundo o site O Eco, o governo federal tenta abafar ação de sua própria instituição: “Operação ‘Carne Fria’ do Ibama autua JBS, mas governo federal tenta abafar“. O portal informa que o Ibama estava pronto para divulgar o sucesso da operação, “a mais técnica que já realizou”, mas o governo federal, em Brasília, “começou uma operação para tentar abafar a divulgação em nível nacional”.

O Eco conta que a presidente do Ibama, Suely Araújo, ensaiou duas vezes convocar uma coletiva de imprensa. Uma delas ocorreria amanhã em Belém, junto com o Ministério Público Federal. “A reviravolta ocorreu porque nem mesmo o Ministério do Meio Ambiente (MMA) estava bem informado sobre a Carne Fria”, diz o site. O Ministério da Agricultura diz que não tem conhecimento da operação.

Diz ainda O Eco:

– Quando o Planalto tomou conhecimento do que estava acontecendo foi cobrar satisfações do Ibama pelo novo desastre de comunicação e tentar adiar a sua publicidade. Tarde demais. A tentativa de conter danos não funcionou porque o Ibama havia avisado sobre a ação a repórteres da Rede Globo e Repórter Brasil.

A Repórter Brasil* traz mais detalhes sobre a operação e a rede de frigoríficos notificados. E conta que, entre as fazendas notificadas pelo Ibama, está a Café Paraíso da Santa Bárbara, do grupo ligado ao Opportunity do banqueiro Daniel Dantas.

JBS COMPROU 50 MIL CABEÇAS

A JBS, também investigada na Carne Fraca, levou multa de R$ 24,7 milhões por adquirir 49.468 cabeças de gado em áreas embargadas, a maior parte do total de 58,8 mil reses comercializadas pelos investigaados: “JBS compra gado de área desmatada ilegalmente e leva multa de R$ 24 milhões“.

De Olho nos Ruralistas revelou em outubro que a JBS admite incidência de 10% de terras de fornecedores em UCs e áreas indígenas. Justamente as que estão na fronteira agropecuária. A alegação é a de que há ” possíveis diferenças de escalas entre os mapas”. Confira aqui o texto: “JBS tolera 10% de terras de fornecedores em UCs e áreas indígenas“.

O Estado de Minas observa que os frigoríficos já haviam assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal, se comprometendo a não comprar animais de fazendas em situação irregular. O jornal conta que o Ibama aplicou, desde segunda-feira, 186 autos de infração, com multas que ultrapassam R$ 264 milhões.

Procurada por O Eco, a JBS negou ter comprado gado de fornecedores irregulares. E, sem mencionar a tolerância de 10% divulgada em relatório, afirmou que “não adquire animais de fazendas envolvidas com desmatamento de florestas nativas, invasões de terras indígenas ou de conservação ambiental e que estejam embargadas pelo Ibama”.

IBAMA INCENDEIA TRATORES

Ibama queimou tratores durante operação em Feliz Natal (Foto: Ibama)

Em Feliz Natal (MT), em outra operação na terça-feira (21/03), o Ibama prendeu seis pessoas em um assentamento, por crime ambiental, e incendiou ferramentas e equipamentos utilizados pelo grupo. Entre os equipamentos, tratores. O site Olhar Direto informa que foram apreendidos quatro tratores, 250 m³ de toras de madeira, duas picapes e motosserras. Segundo a Polícia Federal, os presos disseram que a madeira ilegal abastecia madeireiras de Feliz Natal, a 511 quilômetros de Cuiabá.

* A foto em destaque (gado) é de Piero Locatelli, da Repórter Brasil.

You may also read!

Estudo identifica pelo menos três mortes ao ano provocadas por agrotóxicos em Goiás

Pesquisadores da Universidade de Rio Verde identificaram 2.938 casos de intoxicação entre 2012 e 2022, que causaram câncer e

Read More...

Quem é César Lira, o primo de Arthur demitido do Incra

Exonerado da superintendência do Incra em Alagoas, primo do presidente da Câmara privilegiou ações em Maragogi, onde planeja disputar

Read More...

Reportagem sobre Arthur Lira ganha Prêmio Megafone de Ativismo

Vencedor da categoria Mídia Independente, dossiê do De Olho nos Ruralistas detalha face agrária e conflitos de interesse da

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu