Estudantes de agronomia da UFG pedem “menos amor e mais agrotóxico”

In Agrotóxicos, De Olho na Comida, Em destaque, Principal, Últimas

E ainda fazem camiseta com o pedido; pesticida mais consumido no mundo, glifosato é apontado por muitos pesquisadores como causa de câncer

Eles estudam agronomia. E pedem: “Menos amor e mais glifosato, por favor”. Em referência ao pesticida mais consumido no mundo, comercializado pela Monsanto como Roundup. A foto com essa frase nas camisetas rodou as redes sociais após ter sido publicada no site da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Produção Agropecuária (Emater). É produzida pela associação atlética dos estudantes de agronomia da Universidade Federal de Goiás.

Protesto contra o glifosato em Bruxelas. (Foto: Greenpeace)

Também conhecido como mata-mato, o glifosato – ingrediente ativo do Roundup – “provavelmente” causa câncer, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Outras pesquisas realizadas dizem o contrário. Em junho, o estado da Califórnia, nos Estados Unidos, informou que listará o produto como causador de câncer. A European Chemical Agency o liberou.

Sua utilização é criticada por organizações como o Greenpeace, WWF, Oxfam e Slow Food. Mais de 1,3 milhão de pessoas assinaram uma petição para seu banimento na União Europeia. A documentarista francesa Marie-Monique Robin, autora de filme sobre a Monsanto, define o glifosato como “maior escândalo sanitário da história“.

No Brasil, o uso do pesticida é criticado por pesquisadores como Wanderlei Pignati, da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), e Raquel Rigotto, da Universidade Federal do Ceará (UFC). A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) também fazem alertas frequentes sobre esse e outros venenos.

ESTUDANTES FATURAM COM CAMISETA

Emater retirou imagem do site, mas a manteve no Twitter.

Os estudantes brasileiros conseguiram emplacar a foto em uma notícia sobre o consumo de soja por humanos, publicada pela Emater (e reproduzida, com outra imagem, pelo site Agrolink), sobre o evento Agro Centro-Oeste Familiar 2017, realizado em Goiânia, em junho.

O link foi retirado do ar, mas o site Ambiente do Meio conseguiu registrar a imagem. Que ainda pode ser encontrada, também, no Twitter da própria Emater, em post do dia 12 de junho – conforme o De Olho nos Ruralistas constatou, um mês depois, nesta segunda-feira.

O Instagram da associação atlética dos estudantes da Escola de Agronomia da UFG divulgou em março a camiseta “por menos amor e mais glifosato”. Apresentada naquele mês como uma novidade, ela é vendida por R$ 35. Estudantes da UFG alegam que glifosato é “apenas” uma cachaça que leva o nome do agrotóxico – uma brincadeira local, portanto.

(Imagem: Atlética/Agronomia/UFG)

Diante da repercussão da foto, a Emater emitiu nota de esclarecimento dizendo que nem ela, nem a Universidade Federal de Goiás, nem a organização da Agro Centro-Oeste Familiar têm qualquer ligação com a produção “ou incentivo ao uso” da camiseta.

A agência diz respeitar o direito à liberdade de expressão, garantido pela Constituição, e que incentiva “toda e qualquer prática sustentável de produção agropecuária apoiada em procedimentos seguros e ambientalmente corretos, afiançados pela legislação vigente”. (Alceu Luís Castilho)

LEIA MAIS:
Glifosato: o veneno está em todo lugar
Europa: ONGs coletam 1 milhão de assinaturas contra glifosato

You may also read!

General Etchegoyen diz que quilombolas de Alcântara são “cooptados por antropólogos estrangeiros”

Áudio divulgado pelo The Intercept Brasil mostra ministro minimizando luta dos maranhenses pelo território: "Ah, não quero sair porque

Read More...

Em relatório, Cimi descreve ‘ataque ruralista’ generalizado contra povos indígenas

Documento aponta papel do Congresso e mostra como direitos foram pulverizados em 2016, do número zero de demarcações ao

Read More...

ICMBio abre parcerias privadas para “uma Bélgica” de parques nacionais na Amazônia, Sul e Sudeste

Editais para estudos de Unidades de Conservação se encerram nesta terça (10/08); incluem o Parque do Itatiaia, no Rio,

Read More...

37 commentsOn Estudantes de agronomia da UFG pedem “menos amor e mais agrotóxico”

  • Vao dormir! Se soubessem o sentindo do “glicosato” que está na camisa calariam a boca! Mais amor! Menos sensacionalismo! Por favor.

  • Glifosato nesse caso é o nome que foi dado ao mé, uma bebida alcoólica consumida pelos alunos… Não é um incentivo literal ao glifosato.

    • Pior ainda, Clara. Além de darem o nome de glifosato a uma bebida (o que, em si, já é um deboche), ainda vão a um evento sobre soja – onde se discutia agrotóxicos – e divulgam a camiseta como se todos ali não soubessem que se trata de um pesticida.

      • Putz cara! De onde vc tirou essa certeza de que eles estavam em um evento sobre soja que discutia o uso de agrotóxico? Só espero que a Universidade tome providências e responda com um belo processo.

        • Quem informou isso foi a Emater (que aparece na foto), em seu site, em notícia sobre o evento. E um dos estudantes da foto confirma a participação. Processe. Todos podemos acionar a Justiça.

          • “Além de darem o nome de glifosato a uma bebida (o que, em si, já é um deboche)” Justamente, o sentido é esse: deboche. Agora, por que eles não podem ir em uma palestra sobre soja? Outra, você estava no evento? https://www.agro.ufg.br/agrocentro/ Dá uma olhadinha depois para ver as multinacionais veneneiras que estavam por trás.

          • Você está tão preocupado em estar certo, que nem mesmo nós alunos da UFG falando do que significa a camisa você abre mão. Não prestou nem atenção na foto, só enxerga o que lhe convém – o slide kkkkk – Devo crer que em seu curso de jornalismo, você nunca participou de um seminário com refrigerante e bolo de cenoura com chocolate no final.

          • Pois é, Alceu, acamiseta é sincera ao dizer “menos amor”. Menos amor ao bem estar, à vida, ao meio ambiente, à decência humana. Estes são futuros agrônomos. A humanidade está em plena barbárie.

  • Só pensam no lucro e não na saúde sa terra, sa fauna e de quem consome…

  • Janaina Tozetti carvalho

    coca cola também causa câncer

    • Com a diferença de que Coca cola compra quem quer, enquanto pesticidas são, literalmente, empurrados goela abaixo nos alimentos. A não ser que a pessoa tenha disponibilidade financeira e acesso a alimentos orgânicos. Sem falar na contaminação do solo e nos riscos potenciais ao trabalhador do campo que lida com este veneno.

  • conseguiram os 15 minutinhos de fama regional que queriam

  • Até onde eu sei, roundup é a marca de sementes geneticamente modificadas da monsanto para tolerar o glifosato, o glifosato não é um ingrediente das sementes roundup. É triste pensar que os transgênicos foram inicialmente pensados para evitar o uso de agrotóxicos e hoje são eles os responsáveis pelos consecutivos recordes no consumo dessas desgraças.

  • Vocês “jornalistas” deveriam no mínimo pesquisar contexto antes de publicarem reportagens tendenciosas assim. No âmbito da UFG, existem diversas associações atléticas dos cursos, essas associações funcionam de forma a aumentar a interação com o aluno, através de festas, e principalmente de esportes, todo ano, temos um campeonato entre os cursos da UFG, em que se disputam modalidades como atletismo, natação, futebol society, futsal, handbol, basquete, volei, rugby, dentre outros. Cada atlética criou uma bebida (normalmente suco com vodka) e a batiza com nomes derivados de algo relacionado ao curso, como é o caso do fluor que é a bebida batizada por alunos da Banguela que é a Atlética do Curso de Odontologia, ou prejuízo que é a bebida da Mercenária (Atlética de Ciências Contábeis). Em resumo, a camiseta nada tem haver com o uso do agrotóxico, mas sim com a bebida, que é comercializada nas festas organizadas por membros da Atlética da Agronomia.

    • Glifosato continuará sendo glifosato. O nome antecede a bebida e estudantes de Agronomia sabem muito bem o que significa. Não estavam numa festinha interna, e sim num evento público sobre soja na alimentação humana.

      • Clayton Carlos Ferreira

        Vindo de uma fundação fundada por um nazista nojento que se fazia de sonso, só poderiam falar essas bobagens.
        Vão estudar química!

        • Quem é nazista, Clayton? Não somos uma fundação, somos um observatório financiado principalmente por leitores. Estudemos tudo: química, história, geografia, sociologia. Estudar é ótimo.

  • Logo que a matéria divulguei-a, pois fiquei chocada com a possibilidade de alunos de uma universidade federal praticamente se ‘venderem’ ao agronegócio. Contudo, depois fui informada de que o conteúdo da matéria não procede. Caso o conteúdo tenha sido criado a partir de uma foto, como é de praxe em revistas de tablóides, isso é muito sério e retira a credibilidade do ‘site’.

  • Já pensou em capinar um mar de soja na enxada?

  • Monsanto, um dos grandes da indústria do câncer.

  • minha nossa, que vergonha desses garotos. da universidade. dessa ideia toda. mais amor a eles, muito muito amor. acho que só assim pra começar a pensar em como respondê-los sobre essa brincadeira de mau gosto..
    que um dia possamos vencer a barbárie do dinheiro que gira em torno desses agro-tóxicos (repito: tóxicos), soja, transgênicos.. para um produtor orgânico conseguir o selo de qualificação é uma burocracia danada e essas grandes indústrias vendendo a torto e a rodo, divulgando pesquisas mal intencionadas para consumo, aproveitando do consumidor leigo e sem tempo. que as pessoas queiram mais saúde e mais amor, à própria vida e aos alimentos que ingerem…

  • É triste ver tanta ignorância tanto na notícia quanto nos comentários… Vão estudar por favor

  • Ai o Alceu, para sua surpresa, nosso objetivo foi atendido sim fizemos uma camiseta para provocar pensamento e discuções e principalmente anunciar para toda faculdade que alguns querem mais cachaça do que as vezes estar namorando! E outra cara são pensamentos distintos, já tem mais de mês que eu estou passando por críticas nas redes sociais, gente querendo me jogar em uma piscina de glifosato, kkkkkkkk. Convido a qualquer um saber da minha vida, para os que não tem nada pra fazer é só fica postando merda, eu possuo uma horta orgânica e gasto muito com cursos de sintropica e estudos direcionados para o nosso futuro que é orgânico.
    Eu sei quem fez o primeiro post da foto o incrível é que ninguém comentou, que na mesa do evento não estava um grande apoiador (inclusive financeiro) e deram lugar para um cabeça dessa organização muito “fraudável” que é o MST, agora se a feira da agro centro oeste pode receber de braços abertos vagabundos que não quer saber de trabalhar só de ganhar terra dos outros, pq a nossa atlética não pode tirar uma Ondina do glifosato! Eu só não havia respondido as provocações pq estava em semana de provas, E EU TENHO O QUE FAZER!

    AHHHH EU SOU ESSE GORDIM LOIRIM MODELO DA CAMISETA.
    AGROOOO ESTAREMOS CONTIGOOOOOO
    COM O GLIFOSATO NA MÃO O PAIEIRO ME ESPERAAAAA
    VAI COMEÇAR A FESTAAAAAA
    XOROROROOOOOOO XOROROOOOOO XOROROOOOOOO

    Agro dos loucos!!!

  • Fiquei tentando entender: 🤔”Menos amor mais glifosato”?🤔 Como alguém pode mandar fazer, comprar e usar uma camiseta com uma mensagem pedindo “MENOS AMOR”??? Fiquei imaginando se seria uma forma irônica de criticar o uso do agrotóxico… 🤔 Não faz o menor sentido alguém clamar por MENOS AMOR, então também não faz sentido pedir por MAIS GLIFOSATO. Será que foi essa a intenção? Se foi, acho que foram infelizes na escolha da mensagem. Agora, se realmente estão pedindo menos amor e mais veneno, então não sei mais o que esperar…. 😰

  • Bando de trouxas fazendo lobby e propaganda barata pra indústria química. Como sempre digo: para ser ruralista e não pagar mico, tem que ter muito dinheiro e uma fazenda “orgânica” separada. Agora, ser ruralista para lucro do “Coronel Zé” ou do “Deputado Cirilo” chega a ser cômico.

  • Com certeza tem algo péssimo por trás disso e não é coisa boa.

  • Mais amor e menos glifosato por favor!

  • José Sebastião de souza lima filho

    Bando de nojentos… É por isso que o Brasil tá na merda, é por causa desse tipos de sem noção…

  • Glifosato nada mais è que sal de potássio ou sal de sódio. Não há perigo algum e nenhum embalsamento técnico/científico nesse besteirol escrito aqui, por essa maconheirada da PUC e da USP. Se glifosato fosse bom pra cultura da maconha, todos aqui seriam a favor. Vão procurar trabalhar e produzir algo que preste, seu bando de vagabundos!

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu