Vídeo da campanha ‘Riquezas são diferentes’ alerta: o agro é tóxico

In Agricultura Camponesa, Agroecologia, Agrotóxicos, De Olho na Comida, Orgânicos, Principal, Transgênicos, Últimas

Segunda peça da série opõe alimentação saudável ao agronegócio, modelo defendido pela Globo e dependente dos venenos; observatório divulga editoria De Olho na Comida

A série “Riquezas são diferentes”, iniciada em agosto pelo De Olho nos Ruralistas, ganha mais uma peça de divulgação: “O agro é tóxico – De Olho na Comida”. O próprio nome da série inspira-se no verso da música “Comida”, dos Titãs. Ela se propõe a apresentar as razões por que o agro não é pop, ao contrário do que defende a Globo, em campanha patrocinada por empresas como JBS.

O primeiro vídeo, elaborado a partir dos temas da editoria De Olho no Agronegócio, falou sobre as condições precárias do trabalho no campo e a bancada ruralista. Neste segundo vídeo, sobre os temas da editoria De Olho na Comida, é possível entender rapidamente a dependência de agrotóxicos com a monocultura. “O agro é mono, porque precisa de escala, não para alimentar o planeta”, diz o editor do observatório, Alceu Luís Castilho.

Ao longo dos próximos meses serão divulgadas outras peças de campanha. Os primeiros temas se referem às principais editorias do observatório: agronegócio, ambiente, comida e conflitos. Os vídeos terão cerca de 1 minuto e meio cada, sempre com referência ao tema: “Riquezas são diferentes”.

Os agrotóxicos são um tema recorrente em Brasília – e no observatório. O relator do Projeto de Lei do Veneno, que pretende flexibilizar a comercialização do agrotóxicos, deputado Luiz Nishimori (PR-PR), já vendeu o produto. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), teve propriedades acusadas por abuso de agrotóxico e transgênicos.

 VÍDEOS DIVULGAM EDITORIAS DO OBSERVATÓRIO

Lançado em setembro de 2016, o De Olho nos Ruralistas teve uma pré-história em 2013 e 2014, com programas de entrevistas transmitidos ao vivo. Estruturou-se a partir de uma vaquinha virtual, há dois anos, e, desde o ano passado, mantém no ar a campanha de assinaturas intitulada inicialmente – até se atingir a primeira meta – De Olho nos Mil Parceiros.

As assinaturas podem ser feitas a partir de R$ 12 mensais, ou R$ 120 anuais. Por esse valor cada leitor recebe um boletim analítico semanal, chamado De Olho nos Ruralistas, com uma seleção do que é publicado nos quatro boletins diários: De Olho no Agronegócio, De Olho no Ambiente, De Olho na Comida, De Olho nos Conflitos.

Para receber os boletins diários é preciso doar pelo menos R$ 25 mensais, ou R$ 250 anuais. Ao longo dos últimos dois anos selecionamos milhares de notícias em cada tema, ajudando a tornar o debate sobre agricultura mais amplo.

You may also read!

Atuação na logística liga governador do Amazonas a madeireiras e mineradoras

Setores dominam o jogo político no estado; na disputa pelo quinto mandato, Amazonino Mendes (PDT) é aliado de empresários

Read More...

Agronegócio estrutura-se e chega em 2018 com estratégia de “um pé em cada canoa”

Observatório publica série sobre presidenciáveis; eleição com candidata indígena e duas senadoras ruralistas tem ineditismo escondido pela violência verbal

Read More...

Acusados de grilagem, propinas e uso de verbas públicas, ruralistas de Roraima se unem na eleição

Romero Jucá, do MDB, Shéridan e Anchieta, do PSDB, procuram manter poder no Senado, Câmara e governo estadual, enquanto

Read More...

Mobile Sliding Menu