Prefeitos multados por desmatamento do Pantanal se reelegem com folga no Mato Grosso do Sul

In De Olho na Política, De Olho no Ambiente, Em destaque, Principal, Últimas

Dois políticos que receberam autuações milionárias do Ibama e sobrinho de outro recordista em multas mantiveram-se no cargo na eleição do dia 15, em Aquidauana, Anastácio e Porto Murtinho; os três são do PSDB, partido do governador Reinaldo Azambuja

Por Leonardo Fuhrmann

Com 49,75% dos votos válidos, o ex-prefeito de Porto Murtinho Nelson Cintra Ribeiro (PSDB) conseguiu se eleger para mais um mandato como prefeito do município. Pecuarista, ele foi multado pelo Ibama em R$ 1.151.600 por destruição de vegetação em 2006. O município ao sul de Corumbá é um dos maiores do Pantanal.

O prefeito reeleito foi citado pelo De Olho nos Ruralistas em uma das reportagens da série sobre os maiores devastadores do Pantanal nos últimos 25 anos, publicada em outubro: “Acusados de desmatamento no Pantanal avançam também sobre Bolívia e Paraguai”.

Cintra foi personagem de outra série do observatório, De Olho no Paraguai, veiculada em 2017: “Ex-prefeito de Porto Murtinho, no MS, tem terras dos dois lados do Rio Paraguai”.

Segundo uma informação publicada no jornal The New York Times, em 2012, em reportagem sobre desmatamento no Chaco, ele comprou 34 mil hectares no departamento de Alto Paraguay, em 1997.

Na eleição deste ano, o pecuarista não declarou fazendas, mas, somadas as propriedades nos dois países, ele chegou a possuir mais de 55 mil hectares de terras.

Cintra atuou no governo estadual nos últimos anos. Ele foi diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur) na gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB). Foi demitido em 2017, depois de uma acusação de assédio sexual.

PREFEITO TEM SETE FAZENDAS E PATRIMÔNIO DE R$ 54 MILHÕES

Em Aquidauana (MS), igualmente na região pantaneira, o prefeito Odilon Ribeiro (PSDB) conseguiu a reeleição com 73,33% dos votos válidos. Ribeiro é bisneto de um dos fundadores do município. Seu tio Renato Alves Ribeiro, morto no ano passado, aos 101 anos, era dono da fazenda centenária Taboco. Ele recebeu uma multa de R$ 13.970.000 do Ibama em 2016, no município, por desmatamento. É a terceira maior multa em valor do Ibama na região.

Assim como Cintra, Ribeiro foi personagem de uma das reportagens da série sobre os grandes desmatadores do bioma: “Gado, carvão, cana e soja estão por trás do desmatamento milionário no Pantanal”. A reportagem foi publicada durante o período eleitoral, em razão das queimadas que assolavam o bioma.

Próximo de Aquidauana, em Anastácio, mais um político tucano conseguiu a reeleição. Nildo Alves de Albres recebeu 46,05% dos votos válidos. Alves declarou à Justiça Eleitoral ser produtor agropecuário e ter um patrimônio de R$ 53,66 milhões. A relação inclui três fazendas em Anastácio, uma em Miranda e outra em Corumbá, além de duas fazendas em municípios não especificados. O prefeito eleito recebeu uma multa do Ibama em 2001, no valor de R$ 4,5 milhões, por desmatamento.

Leonardo Fuhrmann é repórter do De Olho nos Ruralistas |

Foto principal (Katiuscia Fernandes/Governo do MS): Porto Murtinho, no corredor de exportação para o Paraguai 

You may also read!

No Rio e no Espírito Santo, apenas Coser apresenta propostas para combater a fome

Paes e Crivella ignoram segurança alimentar; atual prefeito carioca chegou a reter verba da merenda escolar durante a pandemia;

Read More...

País tem troca de cestas básicas por votos em 25 dos 26 estados

De Olho nos Ruralistas fez levantamento após viralização de vídeo contra a candidatura de Bruno Covas, em São Paulo,

Read More...

Cenário atual da fome, Norte tem só dois candidatos com planos para o tema

Dos dez candidatos que que disputarão o segundo turno em cinco capitais da região, apenas Edmilson Rodrigues, em Belém,

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.