Video mostra papel do mercado e dos empresários no genocídio

In De Olho na Política, De Olho no Agronegócio, Em destaque, Empresas brasileiras, Políticas Públicas, Principal, Últimas

Série De Olho no Genocídio aponta como o capital patrocina as mortes da pandemia, com seu discurso negacionista e sua campanha contra um lockdown efetivo; série de vídeos já abordou o papel do presidente no massacre e a face racista de seus apoiadores

Por Alceu Luís Castilho

Depois de mostrar a face supremacista e genocida do governo Bolsonaro, o terceiro vídeo da série De Olho no Genocídio aponta a participação do capital no massacre. Alguns empresários reproduzem diretamente discursos negacionistas e, portanto, mentirosos. Outros fazem campanha aberta contra o lockdown, apontado por cientistas como saída emergencial para estancar o aumento dos casos e das mortes por Covid-19.

Enquanto isso, o mercado sustenta o governo Bolsonaro — aumenta a fome, mas os lucros se mantêm — e apoiam a privatização da vacina.

O vídeo aponta alguns nomes de alguns empresários que se atrevem a patrocinar mais abertamente o genocídio, como Junior Durski, Roberto Justus, Carlos Wizard e Luciano Hang. A face que permeia todas esses personagens é a do principal guardião político dos interesses do mercado: o ministro da economia, Paulo Guedes.

Confira o vídeo.

COBERTURA DO OBSERVATÓRIO SOBRE GENOCÍDIO COMEÇOU EM 2020

O primeiro vídeo da série trouxe um panorama do genocídio em curso, com ênfase no governo Bolsonaro, e a necessidade de mobilização: “Brasil precisa se organizar para punir Bolsonaro“. O segundo fala de racismo e expansionismo, expressos desde antes a campanha e espalhados pelo governo: “Vídeo mostra lógica supremacista do governo Bolsonaro”. Ministros tomam copos de leite e assessor especial flerta com supremacistas brancos dos Estados Unidos  ao fazer o gesto do “poder branco”.

O terceiro vídeo da série apoia a necessidade de um bloqueio efetivo para estancar o crescimento das mortes no país: “Lockdown amplo e eficaz já é uma emergência“.

De Olho nos Ruralistas definiu em junho de 2020 sua cobertura da pandemia como uma cobertura de genocídio. A decisão de fazer uma série de vídeos sobre o tema decorre da emergência que vive o Brasil. A posição editorial é clara em defesa da punição daqueles que comandam a matança.

Em julho de 2020, o observatório colocou no ar a série Esplanada da Morte. Sobre o papel de vários ministros do governo Bolsonaro, entre outros integrantes do governo, como o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), ou mesmo de outros integrantes do poder público, da Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Alceu Luís Castilho é diretor de redação do De Olho nos Ruralistas. |

Imagem principal: De Olho nos Ruralistas

LEIA MAIS:
De Olho nos Ruralistas faz série de vídeos sobre o genocídio no Brasil
Vídeo mostra lógica supremacista do governo Bolsonaro
Brasil precisa de lockdown imediato para salvar centenas de milhares de vidas

You may also read!

De Alckmin a Bolsonaro: os laços políticos da família Jacintho

Acusado de ter ordenado o assassinato do líder indígena Marcos Veron, em Juti (MS), Jacintho Honório organizou almoços com

Read More...

Em Roma, Bolsonaro é julgado nominalmente por crimes contra a humanidade

Sessão do Tribunal Permanente dos Povos acontece nos dias 24 e 25; acusação não trata apenas da omissão do

Read More...

FPA destaca ruralistas “raiz” para alterações no Código Florestal

Senado pode analisar nos próximos dias combo de projetos que enfraquece a legislação; dois dos autores, Irajá Abreu (PSD-TO)

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu